toptentuesday

Top Ten Tuesday, esta semana com o tema Characters Who Are Fellow Book Nerds—basicamente personagens que adoram ler, ou escrever, ou ambas as coisas. I <3 Nerds.

lizzy-reading

Cá vai:

1. Cath, Fangirl, Rainbow Rowell — Cath, a fangirl. A Cath ama a série de livros do Simon Snow, ao ponto de escrever fanfiction sobre isso a torto e a direito.

2. Lizzy, Pride & Prejudice, Jane Austen

3. Paula, Cybele’s Secret, Juliet Marillier — Só há uma coisa que a Paula prefere aos seus livros e estudos, hint: he’s tall, dark and handsome.

4. Penelope, Romancing Mr.Bridgerton, Julia Quinn — Penny!!! Será que ainda é spoiler dizer que a Penny escreve? Pronto, ela escreve… cenas.

5. Sam, Life in Outer Space, Melissa Keil — Acima de tudo, o Sam é um movie nerd, mas ele também é um escritor, não de romances—o objectivo dele na vida é escrever guiões de filmes.

6. Hermione, série Harry Potter, J.K.Rowling — A bookworm para rular todas as bookworms.

7. JanieNeanderthal Seeks Human, Penny Reid — A Janie é uma grande nerd, super fã de novelas gráficas.

8. Alana, Saga, Brian K.Vaughn & Fiona Staples — Okay, ela ultimamente não tem tido muito tempo para ler mas a Alana não deixa de ser uma grande fã de romance, que passa pelas mesmas situações frustrantes dos leitores comuns, tipo, ler um livro fantástico e não ter ninguém com quer fangirlar sobre ele.

9. GeorgieLandline, Rainbow Rowell — A Georgie escreve guiões para séries de TV.

10. Eleanor e Park, Eleanor & Park, Rainbow Rowell — E para terminar, mais personagens da Rowell, Eleanor e Park são ambos fãs de novelas gráficas, que acaba por ser uma das coisas que os une. Aquelas cenas do Park a ler os seus comics no autocarro e de subtilmente deixar que a Eleanor leia também, ao inclinar a revista e virar as páginas mais devagarinho, são das cenas mais adoráveis.

Esta rubrica é da autoria do The Broke and the Bookish.



Esta semana na Mailbox: o meu primeiro adult colouring book! (ノ◕ヮ◕)ノ*:・゚✧

secretgarden9

secretgarden8

Compras

Secret Garden — Johanna Basford | BookDepo

The Mime Order, The Bone Season #2 — Samantha Shannon | BookDepo

Via constantemente os livros da Johanna basford nos bestsellers do Book Depository mas nunca me deu para sequer clicar e ver exactamente do que se tratava, até que um dia, totalmente por acaso, vi alguns dos desenhos já coloridos numa galeria algures na internet e OMD! TAMBÉM QUERO!!!

Vou incluir neste post algumas fotos do interior do Secret Garden, basta clicar e elas ficam maiores.

Foi mais ou menos pela altura que encomendei o Secret Garden que reparei que a Presença já tem publicados alguns dos livros de colorir para adultos mais populares do momento—falo dos livros da Millie Marotta, Animal Kingdom e Tropical Wonderland, ambos disponíveis no site da editora, e a melhor preço do que as edições em inglês. Portanto, presumo que seja uma questão de tempo até que os livros da Basford também sejam publicados em Portugal.
imm-logo-new copy



toptentuesday

Top Ten Tuesday, esta semana com o tema Ten Books That Celebrate Diversity/Diverse Characters. Gosto muito deste tema, e entenda-se que neste caso a diversidade é em vários aspectos, cor de pele, etnia, nacionalidade, orientação sexual, minorias de todo o tipo. Para este top também contam as personagens com algum tipo de deficiência.

1. The Heroes of Olympus, Rick Riordan — Provavelmente a série de livros com mais diversidade que já li. Temos o Frank Zhang que é descendente de asiáticos, o Nico di Angelo que é italiano, o Leo Valdez que é hispânico, a Piper McLean que é descendente de índios cherokee, e a Hazel Levesque, que é natural de Nova Orleães, das cidades mais multiculturais de que há conhecimento, e tem pele escura. Uma das personagens principais desta série também é homossexual, e eu não vou dizer quem é porque é spoiler.

2. Illusions of Fate, Kiersten White — A protagonista, Jessamin, é natural de uma ilha em que os nativos tem uma cor de pele muito mais escura do que os nativos do pais colonizador, e esta história começa exactamente com a Jessamin a mudar-se para o continente onde ela sobressai constantemente na multidão. Ela fala sobre isto várias vezes ao longo do livro.

3. Cinder/The Lunar Chronicles, Marissa Meyer — O aspecto físico da Cinder sempre foi alvo de discórdia, porque a autora propositadamente nunca falou muito sobre isso, mas como ela é habitante de Nova Pequim (uma Pequim futurista), a ideia dela ter uma aparência caracteristicamente asiática é a mais popular. Mas nem é só por isso que ela faz parte deste top, afinal esta heroína tem uma mão e um pé de metal—para não falar do resto! O último livro da série, Winter, vai ter uma protagonista com pele escura.

4. Heart’s Blood, Juliet Marillier — O Anluan tem metade do corpo paralisado.

5. Flame of Sevenwaters, Juliet Marillier — A fofa da Maeve tem várias partes do corpo paralisadas e cobertas por cicatrizes de queimaduras. Ela não consegue mexer os dedos de ambas as mãos, o que dá lugar a várias cenas de fazer doer o coração em que o Finbar #2 lhe parte a comida aos bocadinhos. :3

6. The Agency, Y.S. Lee — A protagonista, Mary, é chinesa por parte do pai, e irlandesa por parte da mãe. Acontece que ela vive na Londres da Era Vitoriana, onde outsiders de todo o género eram alvo de uma marginalização social até ao extremo, e portanto ela esconde esta parte de si própria/da sua história o mais que pode. Ela não tem grandes problemas com isto, até porque fisicamente ninguém nota que ela é meia chinesa, mas no terceiro livro ela decide que tem de contar ao love interest acerca do seu pai, o que resulta numa cena *altamente* emocionante.

7. Sanctum, Sarah Fine — Protagonista latina.

8. A Little Something Different, Sandy Hall — Um dos meus favoritos do ano. O protagonista deste livro é muito tímido e completamente socially awkward, e durante grande parte da história estes parecem ser os únicos “problemas” dele, mas mais tarde é revelado que ele tem uma pequena deficiência física que explica a sua extrema timidez e incapacidade de ser mais sociável, mas não queria estar a falar muito sobre isso porque sinto que é spoiler.

9. Archer’s Voice, Mia Sheridan — Opá, este livro! O fofo do Archer é mudo.

10. The Broken Kingdoms, N.K.Jemisin — A heroína deste livro é das personagens mais fantásticas!!—e é cega.

**Bónus**

11. Of Beast and Beauty, Stacey Jay — Bónus porque já tinha preenchido este top e entretanto comecei a ler o Of Beast and Beauty e deparei-me com uma protagonista cega.

Esta rubrica é da autoria do The Broke and the Bookish.


ant-man-posterFui ver o Ant-Man em 3D na semana passada, e posso dizer que 1. foram duas horas muito bem passadas e cheias de gargalhadas, 2. o 3D vale muito a pena, e isto vindo de mim, que não sou fã de 3D, e 3. é possível que o Paul Rudd seja um vampiro (o homem tem 46 anos??? mas não parece nada???).

Pessoalmente, estava animada para este filme, embora no geral haja muito pouco (quiçá nenhum) hype em volta dele, o que é pena porque realmente está muito engraçado e ainda por cima tem uma ligação com o Captain America: Civil War, que estreia no próximo ano.

Este é um filme de origem—conta como é que este indivíduo perfeitamente comum, Scott Lang, que cumpriu pena de prisão por se armar numa espécie de Robin dos Bosques, vem a ser o Ant-Man. Ele está a passar por um mau bocado e acaba por aceitar vestir o fato por necessidade, mas também para provar alguma coisa à filha, ou como o seu mentor, Hank Pym (Michael Douglas) gosta de dizer assim numa voz inspiradora, “become the hero that she already thinks you are.” Este é um enredo básico e previsível, já antes visto ene vezes no cinema, mas que serve o seu propósito neste filme.

Quando soube que o Rudd ia interpretar este personagem, um super-herói da Marvel, um Avenger!, honestamente não consegui visualizar a coisa, mas acabou por funcionar às mil maravilhas exactamente porque o Scott é um underdog em quem ninguém acredita ou confia—portanto: check; e ainda porque este filme está carregado de situações cómicas que requerem uma poker face assim pró humilde, que eu já sabia que ele fazia tão bem.

Dos vários pontos positivos deste filme tenho de destacar os amigos do Scott, esses três cromos que me fizeram rir à grande sempre que tinham direito a uma cena, especialmente o cromo maior, Luís (Michael Peña), que tem uns momentos completamente alucinantes de storytelling do género he-said-she-said. Imperdível.

Outro ponto positivo são os efeitos especiais, que estão no seu melhor neste filme. Grande thumps up para as formigas—tão fofas! ***RIP Antony, sweet prince***

antony-antman

E o Avenger com direito a cameo neste filme é, espantem-se, o Sam Wilson aka Falcon (Anthony Mackie), o que faz sentido tendo em conta a tal ligação com o Captain America: Civil War, e para além disso é muito merecido, uma vez que o Falcon teve tão pouco tempo de antena no Avengers: Age of Ultron—not okay.

Óbvio que não é o melhor filme da Marvel, mas recomendo sem reservas, de preferência em 3D, porque as gargalhadas, pessoal, as gargalhadas foram em abundância. E atenção que há duas cenas pós-créditos, uma logo no início, mal o filme acaba, e outra mesmo no final dos créditos—esta segunda cena é importante para o Captain America: Civil War, por isso não sejam intimidados pelas senhoras da limpeza ou outros funcionários do cinema e fiquem até ao fim de tudo, quando a esperança já vacila e a bexiga reclama sem parar.

Trailers: Só passou o do Pixels. It’s so f*cking stupid. Mas ficou muito bem em 3D.


bargaindodia copy

Hoje no BaD, aquele que é praticamente um clássico moderno: Stardust, de Neil Gaiman, edição da Avon.

bargain-do-dia-stardust

add to goodreads

 

In the sleepy English countryside of decades past, there is a town that has stood on a jut of granite for six hundred years. And immediately to the east stands a high stone wall, for which the village is named. Here in the town of Wall, Tristran Thorn has lost his heart to the hauntingly beautiful Victoria Forester.

One crisp October night, as they watch, a star falls from the sky, and Victoria promises to marry Tristran if he’ll retrieve that star and bring it back for her. It is this promise that sends Tristran through the only gap in the wall, across the meadow, and into the most unforgettable adventure of his life. 

buy the book from The Book Depository, free delivery


the-fill-in-boyfriendAutor: Kasie West
Editora: HarperCollins
Publicado: 05 Maio, 2015
Formato: ebook
Páginas: 352
Idioma: Inglês

Sinopse: When Gia Montgomery’s boyfriend, Bradley, dumps her in the parking lot of her high school prom, she has to think fast. After all, she’d been telling her friends about him for months now. This was supposed to be the night she proved he existed. So when she sees a cute guy waiting to pick up his sister, she enlists his help. The task is simple: be her fill-in boyfriend—two hours, zero commitment, a few white lies. After that, she can win back the real Bradley.
The problem is that days after prom, it’s not the real Bradley she’s thinking about, but the stand-in. The one whose name she doesn’t even know. But tracking him down doesn’t mean they’re done faking a relationship. Gia owes him a favor and his sister intends to see that he collects: his ex-girlfriend’s graduation party—three hours, zero commitment, a few white lies.
Just when Gia begins to wonder if she could turn her fake boyfriend into a real one, Bradley comes waltzing back into her life, exposing her lie, and threatening to destroy her friendships and her new-found relationship.

add to goodreads

Opinião:

* * * Sem triângulo amoroso * * *

The Fill-In Boyfriend começa na noite do prom, no exacto momento em que o namorado da Gia, a protagonista, está a acabar com ela, mesmo ali à porta—no parque de estacionamento, para ser mais concreta—, e como este infeliz decide fazer tal coisa, a Gia também decide que não vai ao prom sozinha e convida o primeiro estranho que lhe aparece à frente para ser o seu date. O problema é que ela vai pedir a esta pessoa para se fazer passar pelo namorado, que as amigas ainda não conhecem, nem se acreditam que existe—o que vai resultar numa situação engraçada para a Gia e o fill-in boyfriend, mas por outro lado numa bola de neve de complicações e mentiras inofensivas entre a Gia e todas as outras pessoas na sua vida.

Gosto bastante do romance com a premissa do fake-boyfriend porque, entre outras coisas, é tão divertido ver duas pessoas a fingir uma relação que querem que seja de verdade mas acham que outro não quer e que só lhes está a fazer um grande favor e começam a fingir ainda com mais vontade e gaaah—

now-kiss

O love interest da Gia—cujo nome estou propositadamente a evitar dizer porque o início deste romance é tipo um gender-swapped Cinderela at the ball (portanto, um Cinderelo) em que a Gia dança com este rapaz tão simpático e misterioso toda a noite, até que ele desaparece sem lhe dizer o nome e ela lança-se numa quest para descobrir qual é, e sinto que se o revelar aqui assim do nada vou estar a roubar parte do percurso deles ao potencial leitor—é um bom rapaz, com valores, sentido de humor e a tender para o nerdy. Para além do próprio, gostei muito da família dele—da irmã meia gótica que não vai nada à bola com a Gia e quer proteger o irmão a todo o custo, e da mãe artista tão cool mas sempre atenta e carinhosa.

Há mais coisas a acontecer na vida da Gia para além do novo romance, ela tem uma situação familiar relativamente estável, embora eles sejam aquele tipo de família que evita os conflitos até ao extremo, ao ponto de não falarem de nada que realmente interesse e toda a gente esteja sempre de acordo com tudo. A mãe dela é o caso mais grave porque é tipo mais um elemento das Stepford Wives, um andróide incapaz de mostrar sentimentos ou sair da sua rotina diária. Ainda assim quem me tirou do sério foi o irmão da Gia, esse imbecil que não se importa de pisar na família para ter o seu breve momento de glória. Fiquei com o coração apertadinho, apertadinho pela Gia quando ela se apercebe do que o irmão lhe fez—e que ainda tem a lata de aceitar um prémio por causa disso, aaarrgh! Pior é que não acho que ele se tenha redimido no fim. Que bosta de irmão, a sério. >_>

No entanto fiquei satisfeita com o final ligeiramente agridoce—a Gia perde algumas amizades importantes mas, a meu ver, extremamente tóxicas, e ganha outras que são o oposto total e que lhe fazem tão bem em todos os sentidos.

Recomendo para quem está a precisar de um romance light e fofinho na sua vida, com uma pitada de complicações entre família e amigos que são ideais para a protagonista aprender, evoluir, e transformar-se.

4stars

ENGoodreads | The Book Depository



Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 895 outros seguidores

%d bloggers like this: