[Top Ten Tuesday] Livros que eu gostava que virassem séries de TV

06Set16

toptentuesday

Correcção: mini-séries, mini-séries de prai 3 ou 4 episódios por livro. Séries têm tendência a durar e durar e enrolar e enrolar ao ponto de estragar a coisa. Portanto, mini-séries all the way.

Top Ten Tuesday, esta semana relacionado com as séries de televisão que estreiam e voltam em massa com a chegada do Outono; e das várias opções disponíveis para o tema eu escolhi: Ten Books I Wish Would Be TV Shows. *Good* TV shows. Pelas mãozinhas capazes da BBC ou da ITV, da HBO ou até da AMC. Várias da minhas escolhas não vão ser grande surpresa porque são todos livros/séries favoritas que eu adorava ver no ecrã e depois gifar até o meu PC não aguentar mais o Photoshop aberto.

1. The Winner’s trilogy, Marie Rutkoski — Agora que já conheço o desfecho não me importava mesmo nada. Quer dizer, imagine-se uma produção ao estilo Game of Thrones… os cenários complexos e exuberantes, os vestidos de alta costura, os penteados loucamente intricados das senhoras, a badassery de todas as cenas com a Kestrel, os abs bem definidos, doirados e todos transpirados do moço jeitoso que haveria de fazer de Arin… take my money.

arin-gifNão sei quem é, sorry

* * *

2. Fangirl, Rainbow Rowell — Yep, preferia uma mini-série Fangirl a um filme Fangirl, embora nem sei porque é que estou a esclarecer isto porque não há rumores de uma coisa ou de outra—I think? Mas sim, aí uns 3 episódios de 90 minutos cada já chegava para ficar satisfeita. Vá lá, produtores, I’m rooting for you.

austin-butler-leviO Austin Butler ainda é o meu dream Levi

* * *

3. Raven Boys, Maggie Stiefvater — Oh man, ainda tenho esperança que isto um dia venha a acontecer. Há tanto material que ia ser preciso umas duas ou três temporadas.

chainsawCHAINSAW MY BABY!! \(◕ヮ◕)/

* * *

4. Attachments, Rainbow Rowell — Oh sim, vou repetir autoras porque este top é meu e eu faço o que quero. ¯\_(ツ)_/¯

Mas a sério, uma mini-série Attachments encaixava tão bem naquele género de comédia romântica no escritório. Uns 4 ou 5 episódios sff, para não se perder nenhum momento de extrema awkwardness do Lincoln.

* * *

The Scorpio Races

5. The Scorpio Races, Maggie Stiefvater — Pois é, supostamente vem aí um filme Scorpio Races mas as novidades sobre ele demoram tanto a chegar que posso bem deixar aqui o meu delírio de ver esta história no formato de mini-série—o que seria tão bom porque dava espaço para mostrar as inúmeras cenas com as belas paisagens de Thisby, sem roubar tempo de antena à Kate e ao Sean a serem o mais awkward possível e a olharem um para o outro à distância com aquele longing de fazer o meu coração bater a mil. Awww.

scorpio-races-kateDove ♥

* * *

6. Agency, Y.S.Lee — Opá, ia ser tão divertido. Girl spy a viver na Londres Victoriana, mistérios, perigos, perseguições e romance de querer dar com a cabeça na parede.

* * *

7. Wallflowers, Lisa Kleypas — Acho que trocava um pedacinho da minha alma para ver a versão BBC da Evie e do Sebastian a fazer… coisas. Dois, dois pedacinhos, vá lá, Satan! Tens aqui uma oportunidade de negócio.

evie-sebastianBTW, este gif é do Poldark, se alguém estava curioso

* * *

8. BRIDGERTONS!!!, Julia Quinn — Às vezes ainda me custa acreditar que no meio de tantas adaptações de livros e séries ao grande e ao pequeno ecrã, ainda não há uma dos Bridgertons.

Quer dizer, há prai adaptações de livros tão fatelas e parvos e ordinários que até dói pensar que algum pobre coitado se sentou para escrever um guião de tal coisa, e no entanto estas pérolas do romance histórico nem sequer têm direito a um rumorzito de adaptação. Ora bolas, não é justo. Os produtores de TV andam todos a dormir, é só o que posso concluir.

Pela popularidade da série em todo o lado acho que é óbvio que uma adaptação ao pequeno ecrã ia ser um sucesso. Mas naaaão, os canais/estúdios preferem os remakes a novo material. (Já viram que há um novo War & Peace? Boring.)

hayley-atwell-kate2A Hayley Atwell também vai ser sempre a minha Kate

* * *

E claro:

9. Anything Juliet… ALL THE THINGS JULIET — Claro que o que eu mais gostava de ver era Sevenwaters (todos os irmãos em tronco nu na mesma cena, por exemplo, hehe), mas qualquer outra série da JM daria um espectáculo de série de televisão a todos os níveis.

fainne04

 

Esta rubrica é da autoria do The Broke and the Bookish.

 



9 Responses to “[Top Ten Tuesday] Livros que eu gostava que virassem séries de TV”

  1. 1 p7

    Ah, mini-séries… começo a pensar que todas as adaptações deviam ser mini-séries. Uma série é demasiado longa, e os escritores da mesma acabam por engonhar muito e acaba por nunca ser algo próximo do original. E um filme é demasiado curto, muitas vezes corta-se demais e ficamos sem aqueles pormenores deliciosos que nos fizeram apaixonar pelos livros.

    Acho que funcionam especialmente bem para coisas histórias, e sei que hei de cair para o lado no dia em que anunciarem uma adaptação dos Bridgertons. Era genial! Mas também gosto da tua ideia com os livros da Y.S. Lee, tenho tantas saudades da Mary e do James que me soa mesmo bem passar mais algum tempo com eles. Aí, podem engonhar à vontade, se for para os vermos todos fofos um com o outro. 😀

    • Exacto, as séries a certa altura começam a chatear. Acho que praticamente todas as séries que já gostei de ver na vida já me saltavam nos nervos quando estavam nas últimas temporadas. (Muitas deixei mesmo de ver porque já não havia paciência. >_>)

      Siiigh, uma série Agency bem feita era top. Eu adoro period dramas e tudo o que seja série a envolver a resolução de um mistério/crime, e the Agency tem as duas coisas portanto aquilo bem feito ia ser brutal. Recentemente andei viciada nos episódios dos mistérios da Agatha Christie (andou a dar na Fox Crime!), opá gosto tanto daquele tipo de séries.

      É uma enorme tragédia não haver uma série de tv dos Bridgertons, ainda por cima os period dramas com cenas steamy andam bem populares com o Outlander e tal, portanto, de que é que eles estão à espera?? Vá laaaaáááá

      • 3 p7

        Loool parece que há um número óptimo de temporadas antes de os escritores começarem a engonhar e fazer caca. xD É assim, os estúdios de TV deviam ser mais asisados… se os escritores estão preparados para terminar uma série, os estúdios deviam dar-lhes ouvidos e terminar. Mas não, acontece sempre que uma série é popular teres o estúdio a pressionar para haver mais temporadas. É claro que aí dá asneira, os escritores começam a inventar cenas extremas para continuar.

        Do Agency até podia ser uma série a seguir as pessoas da Agency! Não só a Mary, mas todas as mulheres. 😀 Seria tão fixe ver outros casos.

      • Pois, quando eles se põe a esticar as séries independentemente do conteúdo é que estraga tudo. Tipo as séries só costumam ser canceladas quando já não têm as audiências que é preciso, em vez de acabarem porque é o fim da história. Daí as mini-séries terem mil vezes mais qualidade, contam o que têm para contar e FIM. Também gosto daquelas que têm uns 8, 9 episódios por temporada e que demoram esses episódios todos a resolver uma coisa, tipo Broachurch, adoro Broadchurch.

        Siiiigh, seria tão bom. Até dói pensar. sIGH.

      • 5 p7

        Jen, por agora falarmos de séries históricas e curtas e o raio, já viste uma australiana que é qualquer coisa como Miss Fisher Murder Mysteries? Ou algo do género? Fiquei tão intrigada, com algumas bloggers lá fora tem sido a loucura por esta série.

        E tudo porque acho que apareceu no Netflix. Abençoado Netflix, que compreende a lógica de séries mais curtas. Não consigo conceber o House of Cards ou o Daredevil em formato de 22-23 episódios, gods.

      • Não conheço! mas agora fiquei em estado de alerta, quer dizer, murder mysteries?? TENHO DE VER! 😀 Tipo nada me senta mais depressa em frente à TV do que a Miss Marple. Já fazia falta uma nova lady detective. Vou ver, sem dúvida. 😀

        Já há muito que não vejo séries de super heróis, acho que a última foi mesmo Arrow que deixei de ver porque andava a meter nojo. Nunca cheguei a ver o Daredevil.

        Pois é o Netflix é a loucura, também anda tudo louco com uma tal “Stranger Things” que eu ainda não vi mas realmente parece ser interessante.

      • 7 p7

        Isto http://www.imdb.com/title/tt1988386/?ref_=nv_sr_1 Toda a gente que vê parece adorar. Mistérios nos anos 20, no pós-guerra (WWI), na Austrália. Parece delicioso. Só tenho de ver como é que lhe meto as mãos em cima.

        Como é que nunca viste Daredevil? Falando como alguém que gosta de ver Arrow apesar da tendência para o drama, DD está num patamar completamente à parte. Mais sério, mais violento. O Matt é adorável, ainda que tenha umas escolhas de vida questionáveis. E o tipo que faz de Foggy também.

        E como é que não viste Jessica Jones? Argh, ainda melhor. Nada, nada, nada a ver com séries de TV de super-heróis como as viste até agora. O Tennant a fazer do vilão? Meio charmoso, meio arrepiante. Uma pessoa distrai-se com o sotaque britânico, mas depois começas a ouvi-lo falar, e OMG, as coisas que lhe saem da boca são de dar pesadelos.

        O Stranger Things não sei. Ainda não li nada que me puxasse para aquilo… mas TBH, também House of Cards não tinha nada que aparentemente chamasse a atenção, e aquilo é viciante como o raio.

      • Whoa mas já data de 2012 a primeira season, pensei que fosse mais recente. Mas isto é bom, significa que já há muitos episódios para ver. Olha o primeiro epi está no vimeo https://vimeo.com/42349128 se bem que eu costumo ver coisas no watchseries, tem sempre um link que funciona.
        Pois, o problema do Daredevil e da Jessica Jones é que apareceram naquela altura em que eu andava um bocadinho farta de séries do género, embora tenha sempre ouvido dizer muito bem das duas nunca cheguei a ver. Idem para o Flash e a Supergirl. O Arrow foi um bocado o culpado, chateou-me tanto que parece que fiquei alérgica a séries do tipo. :/

      • 9 p7

        Yup, tens três seasons. Este ano não fizeram uma, acho, mas como as tvs britânica e aussie não têm a regularidade obsessiva que os americanos têm, as pessoas ainda têm esperança. 🙂

        Ignora o Arrow, todas as outras que mencionas aí? Nada a ver. Quero dizer, Supergirl ainda não vi, mas o tom parece-me super-diferente. Arrow ficou um nadinho preso à intensidade dramática do Oliver, estão sempre a acontecer desgraças àquele pessoal, e acho que o Oliver já não vive sem o drama. xD

        As outras duas já disse, bem sérias e negras e cheias de moralidade duvidosa. Mais… adultas, no tom. E Flash? Argh, o Barry é adorkable. A equipa toda é adorkable. O Grant Gustin tem um ar tão fofo que até dá vontade de lhe apertar as bochechas. xD Mas pronto, isto para dizer que Flash tem um tom muito mais bem disposto. É claro que cola um bocadinho ao método “vilão da semana/episódio” enquanto está a desenvolver a história principal da season, mas isso quase todas as séries fazem hoje em dia. Até How to Get Away With Murder.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: