[Opinião] Because of Miss Bridgerton

05Jun16

Because of Miss Bridgerton

Autor: Julia Quinn
Série: Rokesbys, #1
Editora: Avon Books
Publicado: 29 Março, 2016 
Formato: Paperback
Páginas: 375
ISBN: 9780062388148
Idioma: Inglês

Sinopse: Sometimes you find love in the most unexpected of places… This is not one of those times. Everyone expects Billie Bridgerton to marry one of the Rokesby brothers. The two families have been neighbors for centuries, and as a child the tomboyish Billie ran wild with Edward and Andrew. Either one would make a perfect husband… someday.

Sometimes you fall in love with exactly the person you think you should… Or not. There is only one Rokesby Billie absolutely cannot tolerate, and that is George. He may be the eldest and heir to the earldom, but he’s arrogant, annoying, and she’s absolutely certain he detests her. Which is perfectly convenient, as she can’t stand the sight of him, either.

But sometimes fate has a wicked sense of humor… Because when Billie and George are quite literally thrown together, a whole new sort of sparks begins to fly. And when these lifelong adversaries finally kiss, they just might discover that the one person they can’t abide is the one person they can’t live without…

goodreads-badge-add

Opinião:

***Sem triângulo amoroso***

Ai, que saudades que eu tinha de ler Julia Quinn. *sigh*

Os protagonistas deste primeiro volume dos Rokesbys são: Billie Bridgerton, a tia do Anthony, do Colin, do Benedict, etc (embora neste livro o pai deles ainda nem seja adulto sequer), ela que é a primogénita da sua geração, que toda a gente conhece e adora, que gere Aubrey Hall e os terrenos da família como mais ninguém o sabe fazer, porque ela praticamente foi criada como se fosse “her father’s eldest son”e George Rokesby, o vizinho do lado, também ele o primogénito e portanto, o herdeiro de tudo que fica ali ao lado da propriedade dos Bridgerton, mas George é o mais sério e reservado dos irmãos Rokesby, ao ponto de Billie lidar com os outros dois—Edward e Andrew—sem formalidades absolutamente nenhumas, mas com George ser diferente. Há ali uma linha que separa George, quer dos irmãos, quer de Billie.

Coisas que gostei:

  • de conhecer a Billie que é tão enérgica, tão cheia de vida, tão verdadeira e totalmente sem pretensões—embora confesso não ter achado graça nenhuma ao facto dela certa vez ter ido caçar por desporto, shame on you, Billie, shame on you;
  • da maneira como a mãe e o pai a apoiam em tudo e lhe dão liberdade para ela fazer o que quer e gosta e tem talento para, independentemente das regras da sociedade;
  • da amizade entre os Bridgerton e os Rokesby, quer a geração mais antiga, quer a geração mais nova, eles realmente dão-se todos como se já fossem família e foi tão engraçado perceber que nem os pais Bridgerton, nem os pais Rokesby davam importância nenhuma ao facto dos irmãos Rokesby estarem sozinhos com as irmãs Bridgerton, sendo que todos eles são solteiros;
  • Andrew, Andrew, Andrew. *heart eyes* O Andrew, que a meu ver é o Colin dos Rokesbys, foi a minha personagem mais que favorita em todos os sentidos—divertia-me tanto sempre que ele estava em cena, a maneira como ele é tão descontraído e bem-humorado, mas depois com as obsessões dele, que nem sequer são assim tão sérias (ex: castelos de cartas!), vira super competitivo, a risota. O próximo livro vai ser o do Edward e portanto ainda vou ter de esperar HORRORES pelo do Andrew, raios partam.
  • Pall Mall & The Mallet of Death are back!😀

Por outro lado:

  • não posso dizer que o George me tenha dado calores como normalmente os protagonistas da Julia Quinn me dão, nem sei bem porquê—muito sério? muito reservado? muito betinho?—mas realmente o George não fez nada pelas minhas lady parts;
  • o romance em si começa a despertar verdadeiramente ao estilo da JQ, com uma cena em parte cómica, em parte insólita que muito testa a paciência da Billie e do George. Depois disso ainda há mais duas ou três situações engraçadas em que eles têm muitos ciúmes um do outro, mas no geral o romance é um steamy muito moderado e quase sem angst nenhum de ambas as partes. Parece que o problema deles se resolve assim num instantinho e sem demais obstáculos, e pronto, eu queria mais. (Faz-me sofrer, JQ! Faz-me querer dar abanões a esta e àquela personagem! Faz-me precisar de ir buscar um copo de água depois de ler determinada cena!)
  • achei aquele pseudo-conflito na parte final com o George e o tal indivíduo um bocadinho silly e anti-climático. Percebo que aquilo era suposto ser um teste difícil para o George, já que o demónio dele era mesmo aquela coisa de querer fazer algo pelo país e pelo irmão e de não poder, mas sei lá, achei toda aquela parte da história muito mal contada e mal inserida no grande esquema das coisas;
  • foi muita maldade o baile ter acabo daquela maneira, queria tanto ter lido a cena da Billie e do George a dançar pela primeira vez mas baaah, Julia, whyyyy.

Apesar desta parte final da minha opinião com as reclamações, o Because of Miss Bridgerton foi uma luzinha brilhante na minha semana (honestamente, no meu mês) e que muito me fez sorrir e virar página após página com fome de mais e mais daquela escrita e daquelas personagens fabulosas que só a Julia Quinn sabe criar. Recomendo e quero o próximo.

4stars

Goodreads | The Book Depository


6 Responses to “[Opinião] Because of Miss Bridgerton”

  1. 1 p7

    Posso só dizer que detesto o WordPress? Tinha um comentário inteiro feito que ele me apagou enquanto tentava postar. Pior, tento assinar esta coisa com um e-mail, e depois ele quer fazer login com a minha conta, apesar de eu já ter desassociado esse e-mail da conta e ter outro e-mail associado a ela, e esta coisada toda é demasiado confusa e não percebo porque é que ele se recusa a funcionar como devia. -.-

    Anyway, estava só a vangloriar-me que por uma vez li um livro antes de ti, e por isso já não podias torturar-me por causa do Winner’s.😛

    E a dizer que gostei bastante que este livro tivesse algumas coisas tipicamente Julia.

    E a queixar-me somente que tenho pena que não haja ligações para além do óbvio desta série para a outra. Na outra não reparas porque eles são muitos, mas não há menções de ligações familiares. Gostava que a Julia tivesse tido a presciência de meter ali uma menção à “tia Billie” ou ao ” tio George” ou algo do género.

    • Bad WordPress, bad! Apologies. Se calhar tenho que ver se ele me deixa mudar a configuração para não pedir o email aos comentadores e bastar um nome, acho que já tentei isso uma vez mas este infeliz tem um bocado vida própria.:/

      O quê! tu é que lês tudo e mais alguma coisa quase sempre primeiro com essa capacidade de leitura a mil à hora! ahah xD
      Só te falta coragem de vez em quando para terminar uma determinada série, como é o caso do Winner’s. Meanwhile eu optei por ler logo mal me chegou às mãos, tipo arrancar um penso rápido. (BTW ainda nem acredito que não o leste!! como aguentas NÃO SABER, isso é self-restraint a um nível assim hiper mega elevado, profissional!)

      Pois é, eu quando estava a ler este não conseguia deixar de pensar, opá mas será que alguma vez mencionaram a Billie ou os filhos dela na série dos Bridgertons e eu nem reparei? Especialmente quando meteu a cena do Pall Mall e o facto dela gerir os terrenos da família, eu dei cabo dos miolos a tentar lembrar-me se alguma vez a Violet ou o Anthony falaram dela—ainda por cima ela é suposto morar logo ali ao lado—mas provavelmente não, a JQ ainda não devia ter planos absolutamente nenhuns para escrever esta série na altura, o que é pena. Ela durante a série dos Bridgertons deve de ser mais velha que a Violet prai uns… sei lá… 15 anos? Ainda podia muito bem ser viva.

      Sabes que não consigo deixar de pensar que se calhar a JQ vai perder a cabeça e dar ao Edward uma americana como love interest? enquanto ele anda por lá desaparecido e tal… ou então não e só lhe arranja uma amada depois dele voltar para o UK. What say you?

      • 3 p7

        Loool estou a ver que o WordPress tem uma vontade muito própria. Não vale a pena perderes tempo a procurar isso, de certeza que vai dar dor de cabeça, e do meu lado normalmente corre bem, apesar de ser irritante, só ontem é que achou por bem lixar-me o comentário.😛

        Ás vezes ignorance is bliss, aparentemente. Sou uma cobarde emocional, e tenho medo de sofrer com estas coisas, apesar de normalmente adorar cada minuto depois de começar. xD

        Eu acho que não há menção nenhuma, o que é triste, uma ligação directa era bem fixe. Ela chegou a fazê-lo para a série das Smith-coiso, uma menção aos recitais num dos livros Bridgerton, por isso não é coisa que lhe seja alheia, apenas não lhe deu para isto.

        E é mesmo pena, porque com a suposta grande ligação entre as duas famílias, é incongruente que na geração seguinte eles nunca sejam mencionados, apesar de pelo menos um livro se passar na casa de campo dos Bridgerton, ali ao lado… e lá está, a Billie não é muito mais velha que a Violet e o marido, podia andar por ali perfeitamente, a não ser que tenha dado em eremita.

        Eu acho que podes ter razão, acho que a Julia pode tentar explorar o ângulo do soldado que retorna como alguns outros históricos fazem… só não tenho a certeza acerca da rapariga. Acho muito fixe se ela fosse americana, e se até parte da narrativa se passasse lá, mas como a Julia nunca saiu da zona de conforto/Inglaterra, pergunto-me se vai fazê-lo agora. :S

      • No worries, basta ir ao menu, mas eu não disse, eu não disse que esta coisa tem vontade própria, a opção de pedir o email aos comentadores está desligada, portanto ele faz mesmo o que quer. T_T

        Noooes! neste caso a ignorância é o oposto de bliss!!

        Ah sim, com os Smythe-Smith foi brutal, havia ali ligações e cameos e ainda a aparição súbita de um Colin selvagem. Por falar nisso ainda estou à espera que alguém desta geração vá a um recital, penso que já devia de haver naquela altura, é sempre a risota aquelas cenas. Also, por onde andará a Lady Danbury?? ela já tem de andar a lançar o terror pelos salões de baile de Londres naquela altura, hehe.

        Acho que ia ser muito engraçado e diferente, e ele podia regressar ao UK já com uma noiva from the colonies—o escândalo! xD A JQ ainda por cima é americana, ela tem de saber ene coisas sobre a própria história, setting, etc. Bem, mas seja como for vai ser bom, só que ainda vai demorar horrores.

      • 5 p7

        Loool bad WordPress!

        Eu estou perfeitamente blissful, e não sei de nada. xD Não te preocupes, devo ler este mês, numa meio-leitura-conjunta.😛

        Hmmm estou a ver que tenho de ler essa série… a Lady Danbury deve ser nesta altura uma peer da Billie, alguém mais ou menos da idade desta geração, gostava muito de ver se ela não se cruza com eles…

        Seria super divertido, uma americana a causar o caos em Inglaterra. xD Ainda por cima muito antes de elas começarem a ser exportadas para casar com gente com títulos ingleses.😛

      • Dammit! então devia estar calada, se ainda não leste a série das S&S isto já são muitos spoilers! -_- Opá é tão divertida, a minha coisa favorita dessa série são as mini S&S, elas são tão tão fofas e fizeram-me rir tanto. Tens de as conhecer.🙂

        Quanto ao facto de finalmente ires ler o TWK: OHMEUDEUSOHMEUDEUSOHMEUDEUSOHMEUDEUS


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: