The Bone Season

05Nov14
the-bone-season-1Em português: A Estação dos Ossos
Autor: Samantha Shannon
Série: The Bone Season, #1
Editora: Bloomsbury
Publicação: Maio, 2014 (1ªed.2013)
Formato: Paperback
Páginas: 472
Idioma: Inglês

Sinopse: It is the year 2059. Several major world cities are under the control of a security force called Scion. Paige Mahoney works in the criminal underworld of Scion London, part of a secret cell known as the Seven Seals. The work she does is unusual: scouting for information by breaking into others’ minds. Paige is a dreamwalker, a rare kind of clairvoyant, and in this world, the voyants commit treason simply by breathing.

But when Paige is captured and arrested, she encounters a power more sinister even than Scion. The voyant prison is a separate city—Oxford, erased from the map two centuries ago and now controlled by a powerful, otherworldly race. These creatures, the Rephaim, value the voyants highly—as soldiers in their army.

Paige is assigned to a Rephaite keeper, Warden, who will be in charge of her care and training. He is her master. Her natural enemy. But if she wants to regain her freedom, Paige will have to learn something of his mind and his own mysterious motives.

Opinião:

O que é que foi isto, meu DEUS. Este livro lembra-me um puzzle daqueles grandes e complicados, que só fazem sentido quando já a maior parte das peças estão no sítio. É tal e qual!

A sério, já li livros com world-buildings complexos, mas o deste é qualquer coisa do outro mundo. Fiz uma ginástica mental durante todo o livro para perceber onde é que a história se passava exactamente, o que era o quê, quem era quem, quem era o quê, e o que raio se estava a passar afinal.

A protagonista desta jornada é Paige, uma jovem de 19 anos que é capturada pelos Rephaim e levada para Sheol I, uma cidade-prisão comandada por estes seres imortais que são assim uma espécie de super-homens, anjos, e vampiros, com aspecto humano, que protegem o mundo de uns demónios terríveis, os Emim. A Paige também não é uma rapariga comum, ela pertence ao grupo dos humanos clarividentes que, nesta realidade alternativa-futurista, são vistos como criminosos da pior espécie, mas que têm valor para os Rephaim—como soldados, porque eles treinam estes humanos “especiais” para que eles se juntem à batalha contra os Emim; e ainda como alimento, porque os Rephaim alimentam-se da aura do pessoal clarividente. Spooky.

A Paige tem a sorte de ficar a cargo do Warden, um rephaite com estatuto, taciturno, e deveras jeitoso, embora a Paige não se ache nada sortuda e o despreze pelo simples facto de ele ser mais um dos seus captores. Gostei bastante da evolução da relação destes dois, que possivelmente é o maior slow-burn que já li—foi deliciiioooosooo—embora o romance esteja claramente em segundo plano neste livro. Gostei da maneira como eles conseguem, muito lentamente, devagarinho, devagarinho, quase parados, aos bocadinhos, aprender a confiar um no outro, e depois como isso se torna em algo mais—e diria eu, para surpresa de ambos.

E não há triângulo amoroso, thank the Gods, houve alturas em que tive medo que a coisa estivesse destinada a ir por esse caminho do mal, mas esta autora é manhosa e deu ali uma solução ao caso que é tão simples, mas que ainda me deixou boquiaberta porque não estava à espera.

Não consigo dizer muito mais porque este livro é extremamente complexo, e confesso que fiquei orgulhosa de mim própria por não ter desistido a meio, mesmo quando pouco ou nada fazia sentido, eu não percebia o que se estava a passar, ou encalhava no inglês porque a autora usa uns termos mais caros e inventa palavras a torto e direito, ainda assim nunca tive vontade de desistir, e estou ansiosa pela sequela.

Em suma, um livro super criativo e desafiador, com um world-building extraordinário, um plot complexo, e uma heroína forte, que vale a pena conhecer. Recomendo.

4stars

Goodreads | The Book Depository

 

Anúncios


4 Responses to “The Bone Season”

  1. 1 p7

    Ehehe, realmente o livro/mundo é bastante complexo, agora que estou a pensar nisso, até tenho algum receio de ler o segundo livro quando sair, sou capaz de já me ter esquecido de metade das coisas. xD

    Mas estou com saudades da Paige e deste mundo, e quero mesmo saber o que vem a seguir… lá terá de ser. 😀

    • É a loucura! antes de me decidir a comprar este livro li algumas reviews menos boas e o grande problema de muita gente era que o livro era muito descritivo e que a autora inventava coisas até não poder mais. Foi em grande parte por causa disto que fui adiando, adiando, adiando, e agora que li gostei de tudo. Mas compreendo porque é que as opiniões se dividem tanto.

      E já viste, a autora tem contrato para escrever muitos mais livros nesta série, acho que são 7, MEU DEUS. Por um lado fico contente, mas por outro dá-me medo, TANTA coisa pode acontecer. *0* Só prai daqui a 10 é que termina esta série, olha a gente a ter que se lembrar deste mundo durante uma década! Vai ser todos os anos “ora bem, o que é que se passa neste mundo e nesta série afinal” xD

      • 3 p7

        Loool o teu segundo parágrafo faz-me pensar que as comparações com HP e a JK Rowling não estão assim tão más, afinal é mais uma série loooonga que nos vai deixar em suspenso, livro após livro. 😛

        Também estou expectante, com um livro ela já explorou tanta coisa, que raios vai fazer em sete? 🙂

        Além disso, lembro-me agora, ela disse que escreveu os panfletos do Jaxon, gostava tanto de espreitá-los. 😉


  1. 1 Favoritos ~ 2014 | Cuidado com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: