Fangirl

12Jun14
fangirl-2Autor: Rainbow Rowell
Editora: Pan Macmillan
Publicação: Jan, 2014 (1ªed.2013)
Formato: Paperback
Páginas: 480
Idioma: Inglês

Sinopse: Cath and Wren are identical twins, and until recently they did absolutely everything together. Now they’re off to university and Wren’s decided she doesn’t want to be one half of a pair any more—she wants to dance, meet boys, go to parties and let loose. It’s not so easy for Cath. She’s horribly shy and has always buried herself in the fan fiction she writes, where she always knows exactly what to say and can write a romance far more intense than anything she’s experienced in real life. Without Wren Cath is completely on her own and totally outside her comfort zone. She’s got a surly room-mate with a charming, always-around boyfriend, a fiction-writing professor who thinks fan fiction is the end of the civilized world, a handsome classmate who only wants to talk about words… And she can’t stop worrying about her dad, who’s loving and fragile and has never really been alone. Now Cath has to decide whether she’s ready to open her heart to new people and new experiences, and she’s realizing that there’s more to learn about love than she ever thought possible…

add to goodreads

Opinião:

Ah, man, isto foi demais, o meu coração não aguenta!! \(♥0♥)/

Apanhou-me mesmo de surpresa o Fangirl, primeiro porque, pela capa e sinopse, pensei que ia ser só um coming of age bem light com uma protagonista nerd e um romance fofinho, e depois porque quando comecei a ler, embora estivesse a achar interessante, não estava a adorar, até que cheguei ali a um ponto em que BAM! fui arrebatada pelos feels, pelas lágrimas, pelas gargalhadas, pelos apertos no coração, pela vontade de me enfiar nas páginas e abanar esta e aquela personagem, dar colinho a outras, e tudo, e tudo, e tudo, e oh meu Deus, foi TÃO BOM.

Foi tão fácil gostar da heroína, Cath—a fangirl—uma introvertida que só quer que a deixem em paz e sossego para ela poder trabalhar na sua fanfiction. Tenho/tinha tantas coisas em comum com ela que até me dava vontade de rir ler as reacções das outras personagens a essas mesmas coisas, porque é tal e qual. Algumas situações ultrapassei exactamente da mesma maneira, por exemplo, a cena da cantina na faculdade, eu até sabia onde era, mas só comecei a frequentá-la prai no segundo ano—aquilo era confusão, e sobretudo gente a mais agrupada num só sítio, para o meu shy self. Too much pressure!

Confesso que por vezes passava os capítulos do Simon & Baz (oficial e fanfiction) à frente, porque precisava, no limite do desespero, de saber o que ia acontecer a seguir no mundo da Cath, especialmente naquela fase em que parece que tudo dá para o torto, é crise do pai, é a crise da Wren, é a mãe, que não é mesmo mãe, que decide voltar, é o grande idiota do Nick que lhe rouba os louros quando eles trabalharam juntos, é o Levi que pelo meio disto tudo ainda faz asneiras—argh!—era uma coisa atrás da outra, e eu tinha pouca paciência para o Simon & Baz, o que também não quer dizer que não me entreti com algumas cenas deles.

O romance tem muito mais protagonismo na parte final, e foi DELICIOSO, em grande parte porque eu não estava mesmo a ver como é que aquilo ia desenvolver (adoro quando isso acontece), quer dizer, a Cath envolvida em qualquer tipo de relação amorosa? LOLADA! Esta foi a minha reacção de descrente prai até metade do livro, até porque ela mantém a sua crush em segredo para toda a gente, leitores incluídos, mas opá, há li uma cena que muda tudo. Btw, não há triângulo—oh joy!

Que me resta dizer? Adorei, foi realista, foi surpreendente, fiquei de rastos em algumas cenas, outras fizeram-me rir que nem uma doida, outras deixaram-me naquele estado coraçõezinhos-a-saírem-me-pelos-olhos, ou em suma: tudo a que tenho direito, tudo o que posso pedir de um livro. Recomendo.

Look at you. You’ve got your shit together, you’re not scared of anything. I’m scared of everything. And I’m crazy. Like maybe you think I’m a little crazy, but I only ever let people see the tip of my crazy iceberg. Underneath this veneer of slightly crazy and socially inept, I’m a complete disaster. #RelatableQuote

5stars

EN | Goodreads | The Book Depository


11 Responses to “Fangirl”

  1. Tomara que todos os livros fossem assim!!! Mal posso esperar para lê-lo também e perceber o teu entusiasmo!😀

    • Eeeek, é tão lindo! \(◕‿◕✿)/ demorei um bocadinho a entrar na história, mas opá, é excelente, fofinho, os FEELS andam por todo o lado

  2. 3 p7

    Sim… a Rainbow é qualquer coisa de genial. *.* Há algo na maneira como ela escreve os seus personagens que é tão realista, tão fácil de nos relacionarmos com eles.🙂 Gods, até da Reagan eu gostei, mesmo com aquele feitio, que na vida real de certeza que me ia irritar ou intimidar ou algo do género. xD

    • A Reagan lembra-me de algumas pessoas que também conheci na faculdade, primeiro parece que não nos curtem, mesmo que a gente não lhes tenha feito nada, mas com o tempo dá para perceber que afinal não é bem assim. Aliás, acho que conheci gente na fac igual a quase todas as personagens deste livro, vários Nicks, Reagans, uma espécie de Levi, Caths, Wrens, Courtneys, Jandros… profs tipo a Piper

      • 5 p7

        A Reagan é cão que ladra mas não morde. xD Achei piada ao modo como ela escreve o Levi, para quem lê tanto é difícil conceber alguém que não se relaciona com o contar de histórias da mesma maneira, por isso foi refrescante.

        Sim, os personagens dela são de certo modo “arquétipos”, tipos de pessoas que conhecemos, mas ao mesmo tempo revela uns poucos pormenores que fazem deles pessoas únicas, é fascinante. Adorei a família dela, tão neurótica duma maneira familiar, mas ao mesmo tempo diferente.🙂

      • LOL! “A Reagan é cão que ladra mas não morde.” é mesmo a melhor maneira de a descrever. Eu gostei muito dela, embora aquele ciúme pelo Levi fosse um bocado descabido, quer dizer ela não podia esperar ser para sempre a miúda mais importante da vida dele, *mas* ao menos era honesta acerca disso, já para não falar que é sempre má onda ver o ex no makeout com outra. Também gostei que ela não acabasse por ser uma ex cliché, que são sempre as más das fita. Isso está tão batido.

        Aquela mãe… O_O

      • 7 p7

        Não sei, a situação dela também era complicada, tentar manter-se amiga do ex é difícil… eles conseguiam, mas deixar de ser a mulher nº1 da vida dele quando eles se conhecem há tanto tempo… eu percebo a relutância dela, especialmente quando ela achava que a Cath era uma totó. É quase como se fosse a mãe do Levi e não achasse a Cath suficientemente boa para ele, o que se justifica por se conhecerem há tanto tempo. Pronto, uma situação complicada, como na vida real o são sempre, mas que a Rainbow faz resultar.😀

        Gahhh, a mãe delas, aquela mulher era tão estranha. :O


  1. 1 Attachments | Cuidado com o Dálmata
  2. 2 2014 End of the Year Book Survey | Cuidado com o Dálmata
  3. 3 Favoritos ~ 2014 | Cuidado com o Dálmata
  4. 4 [Waiting on Wednesday] Carry On | Cuidado com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: