Dreams of Gods and Monsters

22Maio14
 Autor: Laini Taylor
Série: Daughter of Smoke & Bone, #3
Editora: Little, Brown & Company
Publicação: Abril, 2014
Formato: Hardcover
Páginas: 624
Idioma: Inglês

Sinopse: When Jael’s brutal seraph army trespasses into the human world, the unthinkable becomes essential, and Karou and Akiva must ally their enemy armies against the threat. It is a twisted version of their long-ago dream, and they begin to hope that it might forge a way forward for their people. And, perhaps, for themselves. Toward a new way of living, and maybe even love.
But there are bigger threats than Jael in the offing. A vicious queen is hunting Akiva, and, in the skies of Eretz… something is happening. Massive stains are spreading like bruises from horizon to horizon; the great winged stormhunters are gathering as if summoned, ceaselessly circling, and a deep sense of wrong pervades the world.
What power can bruise the sky?
From the streets of Rome to the caves of the Kirin and beyond, humans, chimaera and seraphim will fight, strive, love, and die in an epic theater that transcends good and evil, right and wrong, friend and enemy.
At the very barriers of space and time, what do gods and monsters dream of? And does anything else matter?

Opinião:

Num gif—

omg202

Opá, que ESTRONDO DE PROPORÇÕES ÉPICAS!! Mesmo já se tendo passado algumas semanas desde que terminei a leitura ainda não estou em mim—o é que foi isto!!! (*O*)

Estava aqui a olhar para as minhas estantes antes de começar a escrever esta review, e cheguei à conclusão que o Dreams of Gods and Monsters é o desfecho de série mais perfeito e absolutamente ASDFGHJK!!! que agora faz parte da minha mini-biblioteca. A sério. Foi ene vezes melhor do que o que eu estava à espera, porque mesmo tendo plena confiança na Laini, andei mais de um ano com um diabinho empoleirado no ombro e a sussurrar-me ao ouvido: vai correr mal, vai correr mal, vai correr mal. Afinal esta série foi sempre tão dark que por mais que tentasse, era difícil imaginar um fim moderadamente feliz. Que descrente! *ashamed*

Adoro, adoro, adoro o final, porque é conclusivo no que diz respeito à história que vinha a ser contada desde o primeiro volume, mas ao mesmo tempo deixa várias coisas em aberto, de tal maneira que, se algum dia a autora quiser, pode escrever mais uma, duas, três, vinte sequelas; mais do que isso, gostei que não tivesse sido um final totalmente irrealista, do género, o bem venceu o mal, os vilões foram todos desta para melhor, a paz foi restituída ao mundo, e o heroí e a heroína viveram felizes para sempre, nope, ainda ficaram coisas por resolver, inimigos à espreita, possivelmente mais uma guerra a caminho, e sabe-se lá mais o quê, mas ainda assim o DoGaM foi flawless.

Ultrapassa-me como é que alguém consegue escrever um livro destes, ou pensar sequer numa história tão bela e complexa como esta—HOW. Posso dizer que li o DoGaM numa espécie de transe orgásmico que ameaçava chegar ao fim depressa demais mesmo tendo em conta que ele é um colosso de 600 páginas, e sempre que eu achava que já tinha feito “check” a todas as situações que precisavam ser resolvidas, a Laini dava-lhes mais um twist e POOF! lá se ia o meu cérebro outra vez.

Eu até podia tentar explicar o que se passa neste livro, mas sinto que é um insulto, porque ele é arte em forma de papel e tinta, minha gente! Arte! Não adianta explicar, é preciso experenciar, ter uma cópia física, apertá-la junto ao peito no fim de cada capítulo, e chorar rainbows, porque é a única reacção possível.

Ainda não leram esta série? De que é que estão à espera?? Recomendo a aquisição dos hardcovers, que são um bocado carotes, mas que valem todos os cêntimos.

The two of them were stoic and stone-faced and ten feet apart, currently not even looking at each other, but Zuzana had the impression of a pair of magnets pretending not to be magnets.

Which, you know, only works until it doesn’t.

5stars

EN | Goodreads | The Book Depository | Amazon



5 Responses to “Dreams of Gods and Monsters”

  1. Eehhhhh la tenho de ler atunhe:)

    • You must! \(*O*)/

      • Vale a pena comprar em Hardback? ou o paperback de 9 dá?

      • Eu tenho os hardcovers e ainda bem que na altura optei por este formato, porque esta série agora é uma das minhas favoritas, e ainda por cima os hardcovers são tão lindos, mas se não te fizer muita diferença podes sempre ir pelos paperbacks, quase compras dois pelo preço de um 🙂
        (Depois só terias de esperar por este em paperback, acho que ainda não foi publicado.)


  1. 1 Top Ten Tuesday — Favoritos do ano até ao momento | Cuidado com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: