Divergente, o filme

08Abr14

Divergent_poster_hq[Alerta spoilers]

AAAAH! IS THIS REAL LIFE!!!

Ainda nem acredito que vi o Divergent, depois de um ano doloroso de fangirling, em que parecia que o tempo nunca mais passava, ver, de facto, este filme foi uma experiência quase surreal, e totalmente dream-like. Aliás, não acreditei que estava a ver a coisa até os pauzinhos doirados formarem a palavra Divergent no ecrã, e a Shailene começar a narrar a história.

E OH MEU DEUS, FOI TÃO BOM!! TÃO BOM!!  T Ã O  B O M ! !

Okay, eu vou dar o meu melhor para este post não ser só uma colecção de fangirl squeals em forma de texto.

Já sabia que várias cenas tinham sido deixadas de fora, que outras tinham sido alteradas, e que outras tinham sofrido uma espécie de “dois em um”, e ainda que a ordem dos acontecimentos não era exactamente como a do livro. E isso prejudicou o filme em algum aspecto? Nope. Acho que a única cena de que senti mesmo, mesmo falta foi a do Drunk Four, que ainda por cima eu sei que eles filmaram, mas que não chegou à versão final—figas para que esteja nas deleted scenes do DVD.

Entretanto, houve algumas cenas *surpresa*, que para mim compensaram a falta dos clássicos. Esta, por exemplo, que acabou por ser a minha cena favorita de todo o filme:

fourtris-train1

Há um momento liiiindo antes da Tris alcançar o comboio (infelizmente não há footage desse bocadinho para gifar), mesmo no início da cena, quando ela sai da escuridão a correr, e o Tobias espreita para fora do comboio e a vê. Fiquei num estado emocional que nem é bom lembrar.

Outra das minhas cenas favoritas foi uma da qual eu já nem me lembrava, em que o Tobias se arma em idiota na cantina, aliás, ele é muito parvo durante a primeira metade do filme, o que só me dava vontade de rir, e este momento foi o mais hilariante:

“It must be because you’re so approachable”, I say flatly. “You know, like a bed of nails.”
He stares at me, and I don’t look away. He isn’t a dog but the same rules apply. Looking away is submissive. Looking him in the eye is a challenge. It’s my choice.
Heat rushes into my cheeks. What will happen when this tension breaks?
But he just says, “Careful, Tris.”

O filme é muito fiel ao livro no que diz respeito a experenciar os acontecimentos, a viver a história através da Tris—ela está presente em quase todas as cenas, e foi muito fácil festejar com ela, sofrer com ela, apaixonar-me outra vez pelo Tobias com ela, e óbvio que o mérito vai todo para a Shailene.

Sobre o Theo nem sei o que dizer. Numa palavra: CALORES. É tão estranho tentar falar dele aqui quando eu sei o que se passa no meu tumblr todos os dias. (¬‿¬)

fourtris-kiss

Em relação às personagens secundárias, o meu favorito entre os rapazes foi o Ben Lloyd-Hughes, no papel de Will, diverti-me imenso com ele a desbobinar informação sobre os mais variados assuntos; e entre as senhoras, a Ashley Judd no papel de Natalie Prior, porque sempre tive um soft spot por esta actriz e ainda por cima ela está maravilhosa no pouco tempo de antena que tem neste filme.

Coisas menos boas: acho que a cena da morte do Mr. Prior foi um bocadinho silly, e apressada, mas para falar a verdade isso nem me incomodou; o que me chateou mesmo foi a cena em que a Tris está a enfrentar os medos dela e chega à altura do medo da intimidade com o Four, e bah, caldo entornado. A cena original é tão engraçada e adorável, mas por alguma razão que eu desconheço, no filme decidiram que o medo dela é mais o de ser forçada, com alguma violência, e enquanto ela diz que “não”, a fazer o que não quer, do que propriamente o receio de se expôr, de ainda não estar preparada, de não se achar bonita ou desejável, ainda por cima tendo ela um namorado todo jeitoso, que foi sempre como eu entendi que era o medo dela.

Mas isto foi só uma cena que não gostei, no meio de um filme com mais de duas horas que adorei e que preciso ver outra vez, urgentemente—esta semana, sem falta.

E pronto, quero um DVD!

 

Trailers

Transcendence com o Johnny Depp, bem creepy; e O Fantástico Homem-Aranha: O Poder de Electro.

Um à parte

Fiquei muito desiludida com a quase inexistente publicidade que foi feita ao Divergent em todos os sentidos, porque tirando a zona dos cartazes com os filmes em exibição no cinema, não vi um poster, ou um cardboard que fosse, nem no centro comercial, nem na rua; e pior que isso, só vi um spot publicitário de meros segundos, uma única vez, no AXN, enquanto esperava por Big Bang Theory. Entretanto, anda a passar publicidade ao Noah prai desde Março, quando o filme só estreia esta semana—já não posso mais ver ou ouvir aquele trailer. Não sei quem é responsável por estas coisas, será a distribuidora? Neste caso a Pris; ou será a própria da Lionsgate? Seja lá quem for, fizeram um péssimo trabalho no caso tuga (ou terá sido só na minha zona?), shame on you. (¬_¬)

Advertisements


4 Responses to “Divergente, o filme”

  1. 1 Guilherme

    Por acaso aqui em Viseu há um cardboard nos cinemas e há alguns posters em paragens de autocarros e assim *u*
    Ah e na RTP às vezes passa um SPOT do filme 😀

    • Aaah, raios partam o meu cinema!

      Pois, eu nunca vejo a RTP, está explicado…. mesmo assim em comparação com outros filmes, parece-me que fizeram muito pouca publicidade a este na tv 😦

  2. 3 Marina

    Já vi o filme Carla! Foi tão bom e surreal! xD
    Posso dizer que sai feliz daquele cinema e que valeu a pena o dinheiro que dei para ver o raio do filme!

    Uma das melhores coisas foi o cast, não podiam ter escolhido melhor e a atenção aos pormenores, especialmente na introdução das facções… ahhh, foi tão bom! E o Theo James… parece-me que ele nasceu para fazer de Four! E a Shai.. eu não sou muito de chorar nos filmes, mas aquela cena com a mãe…

    Também adorei essa cena da Tris a correr para o comboio! Senti-me como o Four nesse momento… ele devia estar a pensar qualquer coisa como “Bolas, esta miúda tem garra!” 😛

    E pronto, cá vou eu ver o filme mil e quinhentas vezes até que o dvd saia… xD

    P.s. também senti falta do drunk Four.. (foi uma lacuna quase imperdoável :P)

    • YAAAAAASSSSSS! \(*^ワ^*)/

      Aquele início é muito emocionante não é? quando se vê a cidade, e depois com aquela música de fundo, e a Shai a narrar a história… o Neil é genial!

      Sigh, acho que está previsto sair em meados de Julho o DVD, falta tAAAAAnto 😦 espero que venha com todas as deleted scenes E aquelas cenas que eles filmaram mais que uma vez E BLOOPERS!!

      Também fiquei com a lágrima no canto do olho na cena em que a mãe morre. Aliás, foi pior a espera, elas andavam a correr de um lado para o outro e eu sabia que ela ia morrer a qualquer momento e foi horrivel

      Aquela cena do comboio foi o meu fim D’:


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: