Shatter Me

11Jul13
shatter-meAutor: Tahereh Mafi
Série: Shatter Me, #1
Editora: HarperCollins
Publicação: Out, 2012 (1ªed.2011)
Formato: Paperback
Páginas: 340
Idioma: Inglês
Dystopia Reading Challenge 2013 ~ 10

Sinopse: No one knows why Juliette’s touch is fatal, but The Reestablishment has plans for her. Plans to use her as a weapon. But Juliette has plans of her own. After a lifetime without freedom, she’s finally discovering a strength to fight back for the very first time—and to find a future with the one boy she thought she’d lost forever.

Opinião:

*EDIT* f*CK THIS SH*T

EXCUSE ME, porque é que ninguém me avisou que isto era bom??

Anda aqui uma pessoa a ser enganada, ou pior, na escuridão, porque eu nem sequer tinha ideia! Já nem me lembro porque é que acabei por comprar o Shatter Me, será que foi uma compra aleatória..? Não me recordo mesmo—trágico. :’O

Basicamente gostei imenso de tudo o que se passa neste livro: história, escrita, heroína, romance, até a capa é um covergasm—de notar o mockingjay passarinho que se vê no centro do olho como se fosse um reflexo, aquele bicho tem um simbolismo importante para a Juliette ao longo da narrativa, e eu só reparei no pormenor quando já tinha acabado de ler e estava tipo burro a olhar para o palácio a despedir-me do Shatter Me.

Para ser sincera, este livro não foi exactamente o que eu estava à espera, pela positiva, por alguma razão comecei a lê-lo a pensar que ia ser muito pesado e angustiante, mas por muito que a situação da Juliette não fosse das melhores, a leitura foi surpreendentemente agradável e sobretudo viciante, crack é que este livro é, crack! O que mais me deixou boquiaberta foi o facto de haver uma generosa dose de romance, bom romance, e um love interest totalmente ASAFHAHFLK.

Antes de o sequer ter comprado, o que mais me deixava curiosa em relação a este livro era a escrita, porque tinha vaga ideia de ler reviews em que o pessoal ou adorava o que quer que fosse que o tornava diferente nesse aspecto, ou então condenava/não entendia/não apreciava; o meu veredicto: MAIS, POR FAVOR. A Tahereh escreve sob o ponto de vista da heroína cuja mente parece que trabalha a mil à hora, e de uma maneira fora do vulgar, o que acaba por resultar numa escrita frenética, intensa, metafórica, e quase visual—se é que me faço entender—o que eu honestamente gostei bastante.

O meu único problema com o Shatter Me, e o que me impede de lhe dar uma classificação mais alta, foi mesmo a parte final, literalmente as últimas meia dúzia de páginas em que a história parece que vira teaser de um filme de super heróis, completo com fatos de licra e God help me, o homem-elástico—ri-me tanto mas pelas razões erradas. Preferia mesmo que esse bocadinho tivesse sido editado para fora das páginas, até porque em princípio vai mudar o rumo da história, mas pronto, a Tahereh é que manda, e também não foi por isso que deixei de encomendar o segundo livro logo a seguir.

Claro que recomendo, e vou ficar à espera que alguma editora portuguesa aposte nesta série.

1star

Goodreads ǀ  The Book Depository
Anúncios


20 Responses to “Shatter Me”

  1. 1 quigui

    Tenho ideia que quando saiu o pessoal dizia bem, mas a mim nunca me puxou mt porque era mais uma distopia, e a capa era diferente:

    e nunca me conquistou

    • Yep! também acho que foi essa capa da primeira edição que me fez ficar de pé atrás na altura em que ele saiu, ainda bem que mudaram as capas pq é mesmo bom! 😀
      E até calhou bem só ter comprado agora porque, bem à moda do que as editoras fazem ultimamente, lançaram essa edição do vestido mas depois já não fizeram segundo livro a condizer, o segundo livro só combina com esta edição que comprei… mauditos
      Viste o surpreendentemente? xD

  2. 4 p7

    Eu tenho o primeiro livro com a capa antiga, malditos sejam, que gosto mais da nova. É praí a única vez que gostei duma mudança de capa. xD

    Fico contente que tenhas gostado, e que a escrita te tenha agradado, porque é daquelas coisas hit or miss – lendo algumas reviews, fico com a sensação que a razão pela qual as pessoas não gostaram da escrita é por não se terem identificado com o que a autora estava a tentar fazer, que era transmitir a louca mente duma miúda sem contacto humano há uma série de meses.

    A parte final dos super-poderes acaba por ter mais preponderância no segundo livro, e ser mais desenvolvida, mas ainda é o elemento menos forte da história, no geral. Mas ao mesmo tempo a parte dos super-poderes é TÃO importante para aquilo que a Juliette é e para aquilo que lhe permite fazer (ou não)… O segundo livro é uma caixinha de surpresas e reviravoltas, podes contar com isso. 😉

    Vais ler o Destroy Me, a novela, ou saltas já para o Unravel Me?

    • Já viste? uma vez na vida correu-me bem só comprar o livro muito depois do lançamento, ainda por cima quando quero os outros da série. Pensei que tinhas esta edição! mas realmente tenho ideia de já teres lido há muito, e esta saiu em finais de 2012… é muito chunga, eles podiam fazer novas edições mas ao menos lançavam na mesma os novos livros com capas e formatos a condizer com as antigas, era a coisa decente a fazer! >__>

      Ah pois é! ha novellas para ler nesta série, já não me lembrava, a ver se leio então 🙂

      Ai os super poderes… fiquei mesmo :O *5min depois* xD!!!

      Adorei a escrita, é diferente e sobretudo nada boring, se bem que ela no inicio é mais frenética, para o fim já não é tanto, nota-se que a J vai ficando mais estável ao longo da história—a moça estava a precisar—mas continua interessante até ao fim a narração dela.
      Agora estou naquela, começo o Unravel Me ou não? começo? não começo? porque estou louca à espera do Raven Flight e não queria interromper a leitura do UM. A mesma coisa para o Pirate’s Wish… oh, decisions decisions… xD acho que vou continuar a ler o Maze Runner lentamente.

      • 6 p7

        Bem, devias ler o Destroy Me antes do Unravel Me, se tiveres oportunidade. 😉

        Eu diria para leres já o Unravel Me, porque estou super curiosa para ver o que achas dele… mas também do The Pirate’s Wish… ohhh decisão difícil. xD

      • Oh gawd. Estás-me a matar de curiosidade em relação ao Unravel Me. xD

        Ok tenho de ler a novella

      • Vi agora que o Destroy Me é um pov do Warner, é verdade?? se for só isso acho que não leio afinal, credo não suporto aquele gajo :s mas é importante?

      • 9 p7

        Sim, é verdade, mas é por isso mesmo que queria que o lesses… eu também não achava muita piada ao Warner no primeiro livro, tendo em conta que é um psicopata de primeira, mas a novela pelo menos dá para entrar na cabeça dele e compreender de onde é que vem parte daquelas pancadas todas que ele tem… continuo a achar que é um psicopata de primeira, mas pelo menos compreendo como é que ele funciona. xD

      • Mas são 100 páginas de Warner!! :O I CAN’T

      • 11 p7

        100 páginas? Isso é em páginas de e-book, lol, aquilo é bastante curto, não tem 100 páginas de certeza. E deve estar entupido com os primeiros capítulos do Shatter Me ou do Unravel Me, por isso ainda mais pequeno é. 😉

      • Vi no GR que tem 100 páginas, credo!

        Quer dizer, no final do Shatter Me vem uma cena extra com um pov do Warner que nem me dei ao trabalho de ler, mas são só prai 2 páginas, não me digas que é aquilo.. :O

      • 13 p7

        2 páginas? Também não é assim tão pequeno… daqui a bocado pões-me a mexer no Kindle para ir ver o tamanho do livro. xD Isso das 2 páginas deve ser uma coisa diferente. :S

      • Minto, são duas folhas, por isso 4 páginas ao todo, parece tipo o diário do gajo, acho que ele está a descrever o dia-a-dia com a Juliette. :s Só se for uma amostra do Destroy Me. No Unravel Me também não vem.

  3. 15 diariodachris

    Também quero muito ler este livro.. Esta capa é linda, bem mais que a primeira…

  4. 17 pliterario

    Acabei agorinha mesmo de ler este livro e, oh meu Deus (é tudo o que consigo escrever, lol). Confesso que aquela parte dos super-heróis deixa-me algo de pé atrás, gostava que fosse uma distopia mais distópica e não uma versão menos pormenorizada do X-Men, mas pronto… a ver o que acontece no próximo (que já vi que não gostaste!).

    • É muito bom, mas depois do Unravel Me todo o meu entusiasmo foi por àgua abaixo. É triste dizer isto mas arrependo-me de ter começado esta série. A Tahereh tinha uma coisa diferente e especial mas transformou-a em mais um drama de teenagers que choram pelos cantos porque não sabem de quem gostam. Grande facada nas minhas costas. :s

      Sim, aquela parte tipo super-heróis é muito WTF, quando era só a Juliette eu até gostava, porque afinal ela era a protagonista e tinha aquele poder extraordinário e estranho. Mas afinal depois há mais gente assim, eh.

      • 19 pliterario

        Precisamente o que eu achei! Enquanto foi só a Juliette com um super power, a coisa esteve muito bem, mesmo com todo aquele frenesim romântico. Mas depois, quando surge a Omega Point pronto, o caldo entornou. Estava mesmo preparada para lhe dar as 5 estrelas, assim sendo, terei de reverter para as 4. Continua a ser uma leitura excelente, mas aquela última fase deixa a entender que vem aí uma guerra com uma vibe muito BD de super-heróis.

        Oh, a sério? Ao ponto a que não gostaste do Unravel Me. =O A situação do drama de teenagers não me deixa muito contente e entusiasmada, até porque a cena do triângulo amoroso que pelos vistos se aproxima não me convence muito (embora adore o Warner, depois de um vilão que nada tinha de mau no Luz e Sombra da Bardugo, é refrescante encontrar uma personagem assim, mesmo vil e twisted). Bah, lá vou ter de o ler… nem que seja por ter uma capa fantástica e assim ter ‘desculpa’ para comprar o livro. Hahahah.

      • Yep, por isso tenho um rancor a dobrar do Unravel Me, porque para além de ter detestado a continuação da história que basicamente se resume a capítulos e mais capítulos de angústia, ele conseguiu manchar o amor que eu tinha pelo Shatter Me, e especialmente pela Juliette, personagem que admirava tanto.

        Se gostas do Warner possivelmente vais gostar do Unravel Me então, acho que toda a gente que gosta dele adorou o segundo livro. Quer dizer, se gostas do Warner como love interest, porque eu também gostava dele como vilão, era assustador e interessante, mas como love interest para a Juliette, não. Como é possível ela ter algum interesse por um tipo que a fez passar por tantos maus momentos? Este tipo de atracção tira-me do sério, isto não é aceitável nem na ficção, nem na vida real.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: