Tiger’s Curse

15Jun13
tiger's-curseEm português: A Maldição do Tigre
Autor: Colleen Houck
Série: The Tiger Saga, #1
Editora: Hodder & Stoughton
Publicação: Maio, 2011 (1ºed. Jan)
Formato: Paperback
Páginas: 498
Idioma: Inglês

Sinopse: The last thing Kelsey Hayes thought she’d be doing this summer was trying to break a 300-year-old Indian curse. With a mysterious white tiger named Ren. Halfway around the world. But that’s exactly what happened. Face-to-face with dark forces, spellbinding magic, and mystical worlds where nothing is what it seems, Kelsey risks everything to piece together an ancient prophecy that could break the curse forever.

Opinião:

Que covergasm, não é?

E os volumes seguintes vão pelo mesmo caminho, daí que me pesa a alma pelo facto de não ter ficado fã da Tiger Saga—é que eu queria mesmo ter esta série a embelezar-me a estante, mas isso não vai acontecer principalmente porque a heroína é CHATA COMO O RAIO QUE A PARTA.

Nem tudo foi mau porque gostei da ideia, do cenário, e até apreciei bastante todas as cenas em que a Kelsey interage com o Ren quando ele está na forma de tigre—meu Deus, QUE SONHO, que sonho ter um tigre de estimação que de vez em quando se transforma num moço todo jeitoso e simpático; no entanto estas cenas nunca me conseguiram distrair na totalidade da parvalhona da protagonista que me fez rolar tanto os olhos nas órbitas durante toda a leitura que nem sei como não fiquei com eles permanentemente revirados, a sério Kells, atira-te ao mar.

A escrita também não ajudou nada porque embora os protagonistas sejam ambos maiores de idade soaram-me quase sempre a dois putos de 9 anos, tão, tão cheesy os diálogos deles, credo—mais uma razão para eu preferir mil vezes as cenas em que o Ren é um tigre: yep, porque o diálogo não podia acontecer.

Esta falha nos diálogos não foi a única coisa que me incomodou na escrita, há ene parágrafos entediantes e que parecem ter sido reciclados de anteriores; e como se não bastasse a Kelsey não ter caído nas minhas boas graças, irritou-me que autora estivesse continuamente a tentar fazer dela uma heroína muito à frente, um modelo de jovem, e ao mesmo tempo uma rebelde, quando o resultado foi uma gaja chata, insegura, preconceituosa, e que está sempre a lavar as mãos. Eu também lavo as mãos centenas de vezes ao dia, okay, mas é escusado uma heroína narrar-me a actividade sei lá eu quantas vezes durante um livro de 500 páginas.

Acerca da maldição, aquilo até começou bem, mas depois a Kelsey e o Ren começaram a dar numa de Indiana Jones e a descrição das cenas é tão sem jeito que dei por mim a bocejar; as regras também me pareceram muito idiotas, e honestamente a vontade de saber o que se passa a seguir é zero, especialmente depois de ter percebido que vem aí um triângulo amoroso nos próximos livros. Chega-te para lá, Satanás.

1star

Goodreads ǀ WOOK ǀ The Book Depository.com
Anúncios


4 Responses to “Tiger’s Curse”

  1. 1 Carla

    Hmmmm. Que pena, parecia promissor… Continuo curiosa, mas, se calhar, há prioridades mais interessantes. *desce posição do livro na wishlist*

  2. 3 Tiger's Curse Is Life

    Somente uma coisa: não gostou, ao menos respeite. Tudo bem, que é sua opinião, mas não precisa falar mal, nesse nível sobre o livro. Acho Colleen uma autora fantástica, e também acredito que a maneira como a Kells conviveu com seus pais, e com Sarah e Mike também ajudou a formar a personalidade dela. Não há o porque de criticar isso.
    Muitas outras sagas envolvem um “triângulo amoroso”, e também as coisas que ocorreram nos outros livro, fizeram com que se formasse esse triângulo, e Dhiren e Kishan, não são deste século, então eu creio que isso ajuda na forma que eles falam.
    A personalidade de Kelsey, se resume no que ela via de si mesma, e com o decorrer dos livros isso foi progredindo. E em momento algum, em livro algum, eu vi a Kelsey ser “preconceituosa”, pelo contrário. Ela poderia não querer ter ajudado os prícipes, mas ela fez isso, ela os ajudou a quebrar a Maldição. Ren e Kells, dando uma de “Indiana Jones”, nisso eu concordo um pouco, mas uma das coisas que mais me atraiu nos livros, foi a cultura hindu, e me fez querer procurar mais sobre isso…
    Tavez você não tenha lido os outros livros, por que você não tenta ler os restantes, e depois fazer uma crítica sobre todos eles, hein!? Acho que seria uma boa ideia, não é? 😉

    • Olá.
      Acho que não estou a desrespeitar nada, só a dar a minha opinião sobre um livro—no meu blogue.
      Ler os restantes livros desta série ia ser tortura para mim, para além de dinheiro mal gasto, porque realmente não gosto desta heroína, e gostar da heroína é crucial para eu querer continuar a ler uma série. Já para não falar no futuro triângulo amoroso, que é coisa que evito a todo o custo.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: