The Host

08Abr13
the-host-1
Em português: Nómada
Autor: Stephenie Meyer
Editora: Little Brown (2011; 1ªed.2008)
Formato: Paperback
Páginas: 829
Idioma: Inglês
Dystopian Reading Challenge 2013 ~ 11

Sinopse: Melanie Stryder refuses to fade away. The earth has been invaded by a species that take over the minds of human hosts while leaving their bodies intact. Wanderer, the invading “soul” who has been given Melanie’s body, didn’t expect to find its former tenant refusing to relinquish possession of her mind.
As Melanie fills Wanderer’s thoughts with visions of Jared, a human who still lives in hiding, Wanderer begins to yearn for a man she’s never met. Reluctant allies, Wanderer and Melanie set off to search for the man they both love.
Featuring one of the most unusual love triangles in literature, The Host is a riveting and unforgettable novel about the persistence of love and the essence of what it means to be human.

Opinião:

Meu Deus, tinha tanta vontade de ver o filme, TANTA.

Quer dizer,

HOST1

a quantidade de gifs

HOST3

bonitos

host7

que eu vi

host4

no tumblr.

HOST2

Mais a vontade de fazer as coisas como deve ser, ler o livro –> ver o filme, para os julgar como um todo, e lá encomendei o The Host. Long story short: foi o dinheiro mais mal gasto do ano, minha gente! E ainda vamos em Abril!

É assim, eu não tenho nada contra a Stephenie Meyer, e por muito que seja divertido gozar com o Twilight, a verdade é que quando li a série até me diverti bastante e nunca houve nada que me ofendesse a ponto de eu ter que parar de ler porque já só via tudo vermelho à minha frente, o que para meu crescente horror, aconteceu com esta leitura.

O início é assim um bocado para o lento, basicamente são páginas e mais páginas com a Wanderer a introduzir a história, a explicar o processo de posse de um corpo, e todos os feels envolvidos no depois—estes capítulos são ligeiramente confusos e aborrecidos, mas não vou pegar por aí porque percebo que esta informação era necessária.

Também não vou reclamar com o conceito da história, ou com a parte sci-fi—é “a cena” desta autora pegar numa raça de criaturas e torná-la boazinha, primeiro foram os vampiros vegetarianos, agora os aliens extremamente passivos e pacíficos, okay cool; tive as minhas dúvidas ali pelo meio das aulas da Wanda, e sobretudo com a explicação dela sobre a relação host-parasite, mas mais uma vez, não foi esse o meu breaking point. (E atenção que eu acho que mereço uma medalha por me ter dado conta de um pseudo-cameo do Twilight neste livro, Volturi: os líderes malvados dos vampiros vs. Vultures: os primeiros hosts das souls, também eles malvados.)

Então e qual foi o meu problema? Bem, é que este livro fez-me lembrar um daqueles anúncios contra a violência doméstica. Não estou a brincar. Durante toda a história, ou pelos menos durante as 600 e tal páginas que li, a Wanderer/Melanie é espancada, estrangulada, mandada contra as paredes, obrigada a dormir num buraco sem um mísero colchão ou cobertor, molestada no geral, e por quem? Pelos love-interests, quem mais! Meu Deus, Edward Cullen, leva-me no teu cavalo branco alado em rumo ao arco-íris mais longínquo, porque és o meu homem de sonho quando comparado com estes filhos de uma cadela que assombram o The Host. O QUE É ISTO.

Credo, enervei-me tanto com estas cenas maradas, e nem sabia que o pior ainda estava por vir, pois imagine-se: A WANDERER/MELANIE NÃO SE IMPORTA!!! Que matches made in heaven, e já disse que não estou a brincar! É literalmente, eles: pancada, pancada, pancada, ela: oh, não foi nada, a sério, estas nódoas negras que me cobrem metade da cara e a totalidade do pescoço nem sequer se notam, e não me doem nadinha, afinal vocês estão no vosso direito de me tratarem abaixo de cão, o meu gang invadiu o vosso planeta, e eu estou a morar debaixo do vosso tecto, hit me baby one more time. Mais tarde, nesse dia, Jared & Ian *apontam para as nódoas negras* hei Wanda/Mel, desculpa lá qualquer coisinha. Wanda/Mel *suspiro* I luv u boys, kiss, kiss.

wanderer

EXCUSE ME???

NOOOOJJOO.

Posso dizer que este livro me ofende de todas as maneiras possíveis e imaginárias, da ponta mais espigada do meu cabelo, às extremidades das minhas unhas dos pés—ofensa, NAY! ATENTADO, um atentado à minha integridade, é que isto é. E nope, nada, repito: nada, é desculpa para aquelas cenas de violência.

Mas a Wanderer é um alien e eles—

nooo

Mas o Jared estava a sofrer tanto–

nooo

Mas ele pensava que a Mel—

nooo

Mas o Ian—

nooo

Mas—

nooo

Desculpe lá, Stephenie, é que eu no geral também sou uma pessoa pacífica, *no entanto* se gajos desta laia me pusessem as mãos em cima, na próxima oportunidade eu cortava-lhes os tomates muito lentamente com uma faca de plástico (pedia-lhes desculpa depois, don’t worry), mas nunca, num milhão de anos, sob qualquer circunstância, me apaixonava por eles, e nem consigo ter respeito por uma personagem que consegue. Preferia dar continuamente com a cabeça numa parede (pun not intended).

Acho que terminei, sinto-me mais leve e tudo.

NÃO RECOMENDO, EM CABEÇALHO, EM CAPS, EM BOLD, EM ITÁLICO, E EM SUBLINHADO.

Classificação: 1/10

 EN ǀ Goodreads


16 Responses to “The Host”

  1. Vês… diz lá que escrever esta opinião não foi uma excelente ideia, nem que tinha sido para a tua sanidade mental?! =) Mas, epah, realmente parece um livro assim para o horroroso, em termos de atitudes e comportamentos das personagens, algo que não me parecer transparecer no único trailer do filme que vi há imenso tempo, mas hey, posso estar enganada!

    • Realmente, foi pelo melhor. Tinha tipo uma bola de ódio atravessada na garganta. É horrível, são completamente bipolares os love-interests (e umas bestas!!), e a heroína uma totó, não há paciência.

  2. 3 diariodachris

    Adorei a opinião… Agora fiquei ainda com mais vontade de ler o livro para ver o que a Stephenie fez com o livro.. Vamos lá ver o que eu vou achar..😛

    • Thanks! mas mulher se te fiz ficar com mais vontade de ler o livro é porque não fiz lá muito bom trabalho xD
      Apesar de tudo, espero que aprecies a leitura, para mim não deu mas não tenho nada contra quem consegue ler este livro e não ficar ofendida até à exaustão.

      • 5 diariodachris

        Sim fizeste, porque eu gosto de ver por mim, e quando vejo opiniões tão positivas e outras tão negativas fico em pulgas para saber qual vai ser a minha opinião..😛

      • Pois, tens razão porque isso também aconteceu comigo, li más reviews, e muito boas reviews, e mal pude esperar para saber qual seria a minha. *sigh*

  3. 7 Marta Dias

    Epa isso é que foi descarga de energias negativas LOL. Estou a ver que este livro tem tanta pagina para…nada. Já viste o filme?!Eu acho que vou pegar no filme 1º e depois se gostar vou-me atrever a pegar no calhamaço.

    • Totalmente…

      Não vi o filme, e acho que não vou ver, quer dizer, depois disto, nem os jeitosos do Max Irons e do Jake Abel me tentam, pelos menos tão cedo. Talvez quando calhar de dar na tv dê uma espreitadela, mas se está tão bem adaptado como dizem é porque tem todas aquelas cenas que me deixaram à beira de um ataque de nervos. Não vou conseguir reviver tal coisa!

      • 9 Marta Dias

        Humm…então é melhor dar uma espreitadela no filme para saber se vou gostar, e já que dizem estar bastante bem adaptado acho é melhor jogar pelo seguro com o filme 1º do que o livro.

  4. 10 slayra

    FML, comprei este livro em PT. Slayra = 0 Meyer = 10000000. Damn.

  5. 12 p7

    OMG, como é que eu perdi as tuas actualizações de estado no GR sobre este livro? Chegaste ao fim?

    Não recomendaria veres o filme em geral, não está assim nada de especial. As únicas pessoas a quem recomendaria ver são as que não leram o livro, porque provavelmente não vão sentir a falta dos detalhes que eu senti.

    Quanto às tuas queixas, eu chorei de raiva na primeira vez que li o livro, ao ver o modo como eles tratavam a Wanderer, mas achei realista. O ser humano é bastante violento por Natureza, e aqui, em que a mentalidade de grupo e de sobrevivência está no extremo, não me admira que eles tratem as Almas como tratam, já que para eles são todas o inimigo. Pessoalmente achei mais chocante o que o Doc faz, e o que eles todos deixam o Doc fazer.

    • Acho que não actualizei assim muitas vezes, mas andam um ou dois updates por lá…

      Se me disseres que alteraram a história nas partes de odiei até sou capaz de ver!

      Nope, parei pouco depois do Kyle a tentar matar e ela lá consegue sobreviver mas depois ainda o defende–não mandei o livro a voar pelo quarto mas foi quase. Quer dizer… give me a break O__O fico com uma dor de cabeça só de me lembrar.
      Ela nem mexia um dedo para se defender dos actos de violência, por isso para mim foram totalmente despropositados. E ainda por cima quando vêm dos love-interests… ter uma personagem que amava aquele corpo e que ainda assim consegue agir daquela maneira, não me entra na cabeça… E a importância que é dada a esta situação é quase zero, eles pedem desculpa prai uma vez e está feito, beijos a seguir. Nem sei o que me choca mais, se a violência, se o facto de que a heroína(s) consegue esquecer estas cenas e ter uma relação com as bestas. Eu honestamente não percebo. Fiquei totalmente KO.
      Não li mais, não sei o que é que o Doc faz… :S

      • 14 p7

        Um ou dois? Eu cá vi muitos comentários e GIFs.😛

        Bem, ainda tens pelo menos duas pessoas a dar chapadas à Wanderer, tens a parte toda silly dos beijos, tens o grupinho a tentar matá-la no início, mais o Kyle a tentar matá-la nos banhos. Tendo em conta que eu não quero que tenhas uma coisinha má a ver isto, já te chegou o stress deste, não vás ver.

        Bem, basicamente cada vez que eles saem para trazer mantimentos, raptam um corpo ocupado e levam ao Doc, que está a tentar perceber se consegue tirar a Alma do corpo humano. O resultado é, sempre, a Alma e o ser humano morrerem. Mas aqueles palermas continuam a raptar corpos e o Doc a tentar separá-los. Nunca resulta. Chega a uma altura em que a Wanderer vai parar ao consultório e vê os corpos de ambas as espécies e fica traumatizada e chama-lhes monstros e dramadramadrama.

        Mas my point is, o Doc, que eu assumo que foi um médico a certa altura da sua vida, fez o juramento de Hipócrates, e continua a fazer uma coisa que tira vidas. São corpos ocupados por seres que eles consideram malignos, mas eles têm esperança de conseguir fazer a separação e de salvar os humanos, portanto não percebo porque é que continuam a fazê-lo quando vêm que não resulta. Estão a matar duas espécies de seres complexos, e mesmo que não se importem com as Almas, deviam importar-se com o humano que está lá dentro. Mesmo que alguns deles prefiram matar-se a serem implantados com Almas, não perguntaram a opinião àqueles corpos, perguntaram?

      • Fiz assim tantos updates? não me recordo º.º
        Oh god, então puseram as cenas todas.

        Aah, bem me parecia que aquele Doc não era coisa boa… :s mais uma besta no meio de tantas!! Honestamente a única personagem decente é o Jamie.


  1. 1 Top Ten Tuesday — Desilusões | Cuidado com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: