Firelight

14Mar12
Autor:  Kristen Callihan
Série: Darkest London, #1
Editora: Grand Central Publishing (2011)
Formato: Paperback
Páginas: 372
Idioma: Inglês

Sinopse: London, 1881 —
Once the flames are ignited…
Miranda Ellis is a woman tormented. Plagued since birth by a strange and powerful gift, she has spent her entire life struggling to control her exceptional abilities. Yet one innocent but irreversible mistake has left her family’s fortune decimated and forced her to wed London’s most nefarious nobleman.

They will burn for eternity… Lord Benjamin Archer is no ordinary man. Doomed to hide his disfigured face behind masks, Archer knows it’s selfish to take Miranda as his bride. Yet he can’t help being drawn to the flame-haired beauty whose touch sparks a passion he hasn’t felt in a lifetime. When Archer is accused of a series of gruesome murders, he gives in to the beastly nature he has fought so hard to hide from the world. But the curse that haunts him cannot be denied. Now, to save his soul, Miranda will enter a world of dark magic and darker intrigue. For only she can see the man hiding behind the mask.

Opinião:

Firelight é um debut, e o primeiro livro de uma série que mistura os géneros romance histórico e fantasia urbana, havendo tantas cenas dedicadas ao casal, como cenas em que praticamente só é explorada a componente fantástica. Acho que a autora conseguiu desenvolver e conciliar muito bem as duas partes, porque gostei de ambas quer em separado, quer como um todo.

A história tem uns contornos Beauty & the Beast, e tudo começa com o casamento forçado entre o casal — nem sempre é fácil desenvolver uma relação saudável partindo deste ponto, mas gostei bastante da maneira como Miranda, a heroína, e Archer, o herói, se foram conhecendo aos bocadinhos, e como eles estão perfeitamente em sintonia quando chega a altura de… legalizar o casamento. 🙄

Há vários mistérios por desvendar nesta história, sendo o maior deles o rosto de Archer, porque o homem usa uma máscara para todo o lado, e recusa-se a deixar a própria esposa ver o que está por debaixo dela. Inicialmente isto assusta-a, mas com o passar do tempo ela já só quer que ele se liberte daquela coisa porque é mais uma barreira entre os dois.

Também há um assassino à solta pelas ruas da cidade, as suas vítimas aparecem esventradas e com órgãos em falta, sendo todos eles velhos conhecidos de Archer. A certa altura a segurança de Miranda fica em risco e ele decide agir de forma bem drástica, o que torna o fim emocionante, ainda que de certa maneira esperado.

Ainda não falei dos poderes de Miranda, que são importantes para o desfecho da história, e que dão ainda mais aquele gostinho paranormal ao livro: ela consegue produzir fogo só com o pensamento, e usa-o como arma defensiva várias vezes ao longo do texto. Nope, ela não é a típica damsel in distress.

Não tenho grandes falhas a apontar ao Firelight, e só não lhe consigo dar uma classificação mais alta porque por vezes os diálogos são um bocadinho confusos, e porque uma cena em particular que estava a correr tão bem, acabou comigo às gargalhadas, mas pelas razões erradas. Vou explicar porquê, ainda que seja um bocadinho spoiler *read at your own risk* — a cena é a do primeiro quase-beijo de Miranda e Archer, e está tudo a correr muito bem com ele a beijar aqui e ali enquanto se aproxima do alvo, quando de súbito… eles tocam línguas. Não os lábios, mas as línguas. E isto não dura apenas um instante, não, eles ficam ali, de pé contra a parede de um beco escuro, com as línguas de fora durante um bom bocado como se o momento pertencesse a uma daquelas paródias de adolescentes. WTF?!

Em defesa da intimidade deste casal tenho a dizer que fora esta, todas as cenas do género são super hot.

Claro que vou acompanhar o resto da série, e nem vai ser preciso esperar muito porque o segundo volume, Moonglow, sai já em Agosto deste ano e tem uma capa tão linda e apelativa quanto o Firelight.

Classificação: 7/10

EN ǀ Goodreads ǀ The Book Depository UK ǀ The Book Depository.com


7 Responses to “Firelight”

  1. 1 p7

    Eu ri-me com essa descrição do momento estranho. Acho que também me puxava alguma risota ao lê-lo. Mas já sei que o posso mandar vir quando estiver inclinada. 😉

    Btw, Lisa Kleypas! -> http://www.fnac.pt/Desejo-Subtil-Oferta-Exclusiva-Lisa-Kleypas/a557479?PID=20142 Weeeeee! É o primeiro, não é? Agora estou tramada, porque históricos em pt é a minha irmã que compra. xD

    • É mesmo para rir, mas na altura foi um mood killer; a autora escreve muito bem aquelas cenas, ainda por cima com todo o mistério em volta do Archer (bem kinky e HOT ser seduzida por um homem a usar uma máscara xD — que sortuda aquela Miranda), mas só tocar línguas? What? Veio-me logo à cabeça uma cena bem parva e gross daquele filme “Not Another Teen Movie”, se já viste o filme deves saber qual é. xD
      Mas de resto é muito bom o livro. 🙂

      I know!!! É uma bela notícia! E é o primeiro das Wallflowers sim senhora. Yay!! Mostraram-me essa página da fnac na semana passada e eu nem queria acreditar, quer dizer, assim de repente as minhas duas séries favoritas de HR vão ser publicadas em pt. É a loucura! Tenho que fazer um post. xD A tua irmã TEM de ler. É obrigatório.

      • 3 p7

        Hmm estou a ver a cena, nhec! xD Deixando isso de parte, parece bem sexy, e o cruzamento fantasia urbana X romance histórico parece uma ideia mesmo gira. ^-^

        Lol, também queria pô-la a ler, mas em inglês. Se ela comprar em pt, sabe-se lá quando é que a editora vai publicar o segundo, e depois como é que devoro os livros um atrás do outro? 😀 Não tenho muita vontade de ficar pendurada com (mais) uma série. 😦

        E mais uma notícia literária, hoje é o dia delas! -> http://1001mundos.blogspot.com/2012/03/filme-maravilhoso-2.html
        Acho que dele não nos lembrámos, pois não?

      • Sim, é melhor nem pensar na cena. xD

        Pois, isso é que é mau…estar à espera dos restantes livros depois, anda por cima quando sabes que em inglês estão ali todos disponíveis, só à espera de um add to basket + checkout! :s

        Não! Não nos lembramos dele, mas ao menos acertamos numa coisa: tem sotaque. Está muito bem escolhido acho, o Jeremy assusta uma bocadinho. xD
        Tem graça que este filme está a ficar repleto de actores que não são americanos, quando a história até se passa numa zona da América bem peculiar. E tantas estrelas! Nunca pensei que conseguissem tais nomes para este filme.

      • 5 p7

        Lol, o Jeremy é awesome, estou a lembrar-me agora dele a fazer de mau num dos filmes do Die Hard, e n’ “O Homem da Máscara de Ferro”. 😀

        Sim, é bem bom o ajuntamento de actores em volta do filme, talvez agora que os filmes feitos a partir de livros YA estão na berra se vá conseguindo bons nomes. 😀 Só peço que todos saibam fazer aquele sotaque sulista trashy e delicioso, adoro ouvi-lo. 😛

  2. Olha eu tenho este na wishlist porque a Meljean Brook o recomendou mas até agora não tinha voltado a pensar nele. As capas são kickass, adoro!

    • Pois é, a Mel fez um blurb para este livro. 🙂

      São espetaculares as capas! Eu quando vi esta fiquei com os olhinhos super redondos e brilhantes (º.º)


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: