I Am The Messenger

31Ago11

Autor: Markus Zusak

Editora: Knopf Books (2006; 1ª ed.2002)

Páginas: 356

Idioma: Inglês

Sinopse: After capturing a bank robber, nineteen-year-old cabdriver Ed Kennedy begins receiving mysterious messages that direct him to addresses where people need help, and he begins getting over his lifelong feeling of worthlessness.

Opinião:

I Am The Messenger conta a história de um rapaz, Ed Kennedy, que certo dia começa a receber cartas -daquelas de jogar- no correio com alguma coisa escrita: moradas, nomes, ou outro tipo de pistas que o vão conduzir a uma pessoa/cenário/caso, que ele começa a observar de longe (tipo stalker) até descobrir o que é que é suposto ele fazer. Quando isto acontece, Ed interage mesmo com aquelas pessoas, ajudando-as directamente, ou ajudando-as a ajudarem-se a si próprias, “entregando-lhes uma mensagem” – o que faz dele O Mensageiro.

***

Sim, caros leitores deste post, provavelmente estão com uma sobrancelha levantada, ou com a testa toda franzida no presente momento, e não vos culpo, depois do parágrafo anterior que mais parece um enigma (ou então que bebi qualquer coisa marada antes de escrever esta opinião), mas que é rigorosamente verdade, até porque este livro é muitas coisas, e entre elas: estranho, mas é de uma estranheza tão cómica, tão genial, tão Por Favor Não Acabes, Quero Mais! que só o posso recomendar sem reservas.

Adorei o estilo de escrita do autor, que faz muito aquela coisa de

Usar.

Vários.

E.

Pequenos.

Parágrafos.

Coisa que acho brilhante – quando é bem feita (e que claramente não foi no exemplo anterior. Ignorem-me).

A história é sempre narrada do ponto de vista do herói, Ed, que só pode conquistar a simpatia do leitor, visto que nunca, coisa alguma lhe corre bem – o que ele admite, desde o início e sem qualquer tipo de reserva. Carreira, jogo, amor, situações no geral: Ed Kennedy = FAIL, e é por isso que é tão satisfatório ver este auto-proclamado Zé Ninguém embrenhar-se em todo o tipo de actos heróicos, ou de simples bom-samaritanismo. A maior parte das vezes são pequenas coisas, mas que importam, que fazem a diferença, e que dependem somente dele agir ou não.

E devo dizer que o primeiro capítulo deste livro é para mim duas coisas: 1. a melhor cena de roubo a um banco alguma vez escrita, e 2. o melhor primeiro capítulo de um livro, na história da Humanidade. Eu chorei, chorei, de me rir.

O fim deu-me um grande nó no cérebro, e tive que parar durante vários minutos e contemplar o vazio, num esforço de perceber o que me tinha acabado de acontecer. Pareceu-me ser um daqueles finais que permitem que cada leitor escolha uma teoria acerca do que se terá passado: o que eram aquelas mensagens, porque as recebeu Ed, o que era o Ed afinal, quem era aquela pessoa que lhe enviava as cartas com as mensagens-missões, e o mais importante, o porquê de tudo isto. Já me decidi por uma explicação -que pode ou não ser um minor spoiler– e que muito resumidamente aponta o próprio autor, Markus Zusak, como a mastermind por detrás do esquema das mensagens, fazendo com que o Ed as entregasse às respectivas personagens, e ao mesmo tempo, através do livro, ao leitor.

Confusos?

Eu também.

(Provavelmente a minha opinião escrita mais obscura de sempre, mas foi o melhor que consegui. :D)

Classificação: 9/10

Goodreads ǀ The Book Depository UK ǀ The Book Depository.com
Anúncios


19 Responses to “I Am The Messenger”

  1. 1 quigui

    Mmm, curious.

    Mais um para a wishlist/lista-de-livros-para-fanar-à-Jen

  2. 3 p7

    Este livro parece genial. 😉 Lembra-me a premissa do Joan of Arcadia.

    Tenho aqui o da Rapariga que Roubava Livros, mas acobardei-me de o ler…

    • É muito engraçado, eu gostei imenso – como dá para ver xD

      Joan of Arcadia…é uma série de tv, não é? Acho que nunca cheguei a ver um episódio 😦

      Mas será que toda a gente se acobarda de ler o Book Thief? Ainda no outro dia outra pessoa (ver autora do primeiro comentário deste post) me estava a dizer que o queria ler, mas também se acobardou por aparentemente ser uma leitura pesada, e se passar durante a Segunda Guerra Mundial. Parece que precisamos de um incentivo, ou de formar um grupo de apoio. Grupo de Apoio à Leitura do The Book Thief. Até soa bem. eheh

      Mas confesso que depois de ter lido este, acho estranho como é que o autor passa de algo como o Book Thief para o I Am The Messenger, mas às tantas não são assim tão diferentes um do outro. Tenho que o ler. Correcção: vou lê-lo. Um dia destes. 😀

      • 5 p7

        Essa série era bem gira, era sobre uma miúda, a Joan, que começa a receber mensagens de Deus através de pessoas normais para ir ajudar alguém à sua volta… A certa altura a Joan começa a duvidar das mensagens que recebe, porque pensa que está maluquinha. 😐

        Lol, eu acobardei-me porque fico sempre super deprimida com livros/filmes que se passem na 2ª Guerra Mundial… tanta gente diz que ficou emocionada, que comigo deve ser para “chorar baba e ranho”. 😛 Pois, bem que preciso de um incentivo… podíamos era pôr-nos a ler o livro todas ao mesmo tempo.

      • Realmente não tenho ideia nenhuma de já ter visto um episódio, mas parece ser uma série engraçada. 🙂

        Pois, eu estava a lançar veneno, mas a verdade é que também me acobardo sempre quando livros ou filmes metem guerras, e cenários do género.
        Ora aí está uma boa ideia! 🙂

      • 7 p7

        O chato é que não acabei de ver a série… estava a acompanhar a 2ª série há uns anos na rtp, mas depois começaram a mexer com os horários… :/

        Pelo menos não sou a única. 😛

      • 8 p7

        O chato é que não acabei de ver a série… estava a acompanhar a 2ª série há uns anos na rtp, mas depois começaram a mexer com os horários… :/

        Pelo menos não sou a única. 😛
        Boa ideia o quê? Ler ao mesmo tempo? Eu já tenho o livro, por isso podemos fazê-lo quando quiseres… 😉

      • Ah, é sempre a mesma história, alteram os horários e uma pessoa fica a ver navios.

        Yep, podemos fazer isso, só tenho que o comprar primeiro 😀

      • 10 p7

        Ok, fico à espera. 😉 Não há pressa, compra quando puderes. 🙂

  3. O livro parece muito bom. Deixaste-me com ganas de o ler (ainda por cima se faz rir).

  4. obscura ou não adorei a tua opinião 🙂

    • Yay! thanks 😀 sofri um bocadinho para escrevê-la, confesso. Mas é sempre assim com os livros de que gostei bastante, este tinha ainda a particularidade de ser difícil de explicar bem.

  5. I have this book here since Markus is my favorite writer, but I fear it isn’t so good as Book Thief, and I’m sure it won’t be since Book Thief is my favorite book, but well…let’s see. I’ll read the book this year, that I’m sure XD


  1. 1 Top Ten Tuesday – Finais que me deixaram de boca aberta | Cuidado com o Dálmata
  2. 2 A Rapariga Que Roubava Livros | Cuidado com o Dálmata
  3. 3 As Escolhas do Dálmata 2011 | Cuidado com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: