[Opinião] A Cidade das Cinzas e A Cidade de Vidro

29Jul11

A razão desta opinião dupla é o facto de eu já não me lembrar do que se passou n’A Cidade das Cinzas. No, wait... eu lembro-me de algumas coisas como, vários episódios de angústia adolescente, uma e outra cena de incesto (é só de mim ou a Cassie tem uma mente ligeiramente retorcida?), e mais um ataque falhado do terrível vilão com o nome fofo de Valentine. Tudo o resto é uma névoa na minha cabeça, uma névoa com breves instantes de lucidez em que vejo a Clary a desenhar runas, o Simon com fangs, e a Inquisidora Herondale a dar numa de Dolores Umbridge.

Quanto a esse livro interminável A Cidade de Vidro, enervou-me bastante nas primeiras 200 páginas ou assim, porque basicamente o que se passa é a Clary a fazer o que toda a gente lhe diz para não fazer. Vou confessar outra coisa, a Clary não é das minhas personagens favoritas desta série – durante grande parte do tempo ela passa-me ao lado, mas de vez em quando lá vem uma cena em que me irrita solenemente, e pronto, o início deste livro não foi fácil para mim porque estava repleto de cenas do género, só me apetecia dizer, Go to your room, Clary! Quando é que ela vai perceber que é um gatinho no meio dos leões? Claro que não ia ter graça nenhuma se ela fosse uma heroína passiva, aliás, a  história nem andava para a frente se fosse o caso, mas argh! ela enerva-me.

Clary à parte, gostei q.b. deste terceiro volume da série Caçadores de Sombras, que bem podia ser o último, já que as pontinhas soltas dos livros anteriores são todas atadas, e até há fogo de artifício no fim. Fogo de artifício que normalmente quer dizer que a diversão c’est fini e que os leitores têm de continuar com as suas vidas e encontrar outra série para ler, mas não, ainda vêm aí mais três livros, o que de certa maneira também faz sentido já que o corpo de um dos vilões nunca veio à tona, e se há coisa que se pode aprender das inúmeras sequelas do mesmo filme de terror, é que uma história não termina se o corpo do vilão não foi encontrado, mesmo que tenha levado 50 facadas no torso.

E se a primeira metade do livro foi de me pôr os cabelos em pé, a segunda metade foi bem interessante, e já não sei bem como é que este interesse começa—provavelmente quando o Sebastian é desmascarado—mas a certa altura foi-me quase impossível parar de ler.

Tenho ainda a dizer que achei o epílogo escusado, quer dizer, depois daquelas cenas do confronto final em que a adrenalina fica ao rubro, segue-se aquela meia dúzia de páginas em que as miúdas se andam a preparar para a festa e mais não sei quê—boring. E depois, vem a parte que não percebi, e que foi a da suposta aparição da Tessa do Anjo Mecânico na festa, porque a autora disse que era ela no seu site. O queeeê? Porque é que só temos de saber disto se formos ao site ou consultarmos a Mortal Instruments Wiki? Que estado de ansiedade isto me deixa… o que é que ela estava ali fazer? Mais importante ainda: como? 

3stars

GoodreadsWOOK | The Book Depository


13 Responses to “[Opinião] A Cidade das Cinzas e A Cidade de Vidro”

  1. 1 p7

    Ah, o Cidade das Cinzas… acho que esta citação (http://www.goodreads.com/quotes/show/42159) do Jace descreve bem o livro.😀

    Quanto ao Cidade de Vidro, o drama está mesmo lá no alto.😛 Mas pelo menos acaba bem, tenho uma queda por epílogos-happy ending.😀 E agora já sabes como acabou o dramalhão Clary-Jace…😉

    Quanto à Tessa, dado o que é mencionado no Anjo Mecânico sobre eles não saberem bem que tipo de ser sobrenatural era, mas acharem que era uma bruxa (como o Magnus Bane), bem, talvez isso explique a sua aparente imortalidade. Ou então ela conseguiu ter filhos e esta é uma descendente shapeshifter que tomou a forma dela.😉

    • Aquela citação realmente diz tudo, o Jace está sempre lá. xD

      Acabou…olha que não sei, afinal ainda há mais 3 livros! por acaso estou com algum receio…tipo, acaba tudo bem neste, por isso que raio vai a autora fazer para continuar com o drama romântico? até tremo só de pensar O_O

      Mas ela não pode ser imortal! Não pode! Porque se for quer dizer que não fica com o Will!!😦 A menos que ele também seja e ainda não se saiba…

      • 3 p7

        Lol, esse é o meu medo, agora que há mais uma trilogia, que ela se ponha a inventar mais tragédias entre os dois… Não podemos uma vez na vida ter um casal fofinho e feliz? Prefiro o Jace e a Clary todos melosos do que em “modo angst” outra vez.😛

        Também não queria que fosse imortal, pois sabe-se lá porque estou a torcer por aquele parvo do Will endireitar-se.😀 A minha esperança é o facto de que a Cassandra costuma reservar-nos algumas surpresas e reviravoltas, e a teoria bruxa/imortal acabe por não ser verdadeira, porque é muito óbvia. Era muito mais giro que aquela pessoa fosse uma filha, assim dá-me esperança que a Tessa e o Will se juntem.😀

      • Voto no “casal fofinho e meloso”! Afinal já tivemos 3 livros de drama-drama-drama, por isso merecíamos 3 livros de fofura-fofura-fofura.

        Yep, era muito óbvio, ela deve ser uma mortal com capacidades únicas tipo a Clary que inventa runas. A Tessa também deve ter sido fruto de alguma experiência qualquer com sangue de feiticeiro ou de demónio e daí tem aquelas habilidades, mas tem de ser mortal…e também tem de ser parente de alguém do futuro -pela nossa lógica tem de ser do Jace, não é xD- porque se há coisa que já percebi nos livros da Cassie é que sempre que ela introduz uma personagem e alguém olha para ela e pensa: “aquela cara é-me familiar…”, mesmo sem nunca a ter visto, é sinal que aquela pessoa é parente de alguém e ainda não se sabe, o Luke fez isso com o Jace antes de saber que ele era filho do Stephen, até o Simon da primeira vez que viu o Sebastian achou que ele lhe fazia lembrar alguém. Por isso não era muito estranho a Clary deve ter olhado para a Tessa (ou sua descendente) e visto alguma semelhança com o Jace…MAS também admito que seria muito óbvio o Will e a Tessa serem antepassados do Jace, por isso ainda pode haver aqui mais meia dúzia de twists com mais crianças roubadas do ventre e criadas com outras famílias e sob apelidos falsos. *sigh* São tantas as teorias possíveis, é impossível adivinhar (*.*)

      • 5 p7

        Voto nessas teorias. Parece que para a Cassandra, quanto mais complexa a reviravolta, melhor!😀 Até eu perceber a troca de identidades que ocorreu com quem era filho do Michael Wayland, do Valentine ou do Herondale foi cá uma confusão…😛

      • Sim, a certa altura é preciso parar de ler para pôr as ideias em ordem, e digo-te, até hoje não sei qual o apelido do Jace, o biológico Herondale? um dos biológicos-fake: Wayland, Morgenstern? o da família adoptiva Lightwood? xD e a Clary não fica atrás, será Fray? Fairchild? Morgenstern? e se ela junta os trapinhos com o Jace, como se passa a chamar? LOL

      • Pelo que ouvi dizer, a continuação deste é mesmo mais drama, drama e drama em relação ao Jace e à Clary. Mais uma das razões porque não os vou ler. -_-

      • Oh não… (º_º)

  2. Com tantos defeitos apontados, estranhei a tua nota bastante positiva de ambos, ma devo dizer que compreendi tudo o que apontaste, pois penso o mesmo. (embora eu não tenha gostado tanto como tu, nem planei ler os restantes)
    E que foi isso da Tessa? O.o

    • Não consegui dar um rating mais baixo, porque no fundo há partes do livro (ou livros) de que gostei bastante, nunca fiz referência mas gosto muito do Luke por exemplo, e o Jace faz-me sempre rir, e eles também são boas razões para a classificação desproporcionada à opinião.😉

      Pois, tu ainda não conheces a Tessa do Anjo Mecânico, pois não Ana? Bem, mas não interessa, recordas-te que na festa no fim do livro, quando a Clary chega lá, menciona que vê o Magnus ao longe a conversar com uma rapariga que ela não conhece mas que achava que lhe era familiar? Ela diz que a moça estava vestida de branco e que tinha cabelos castanhos, e que mal acaba de falar com o Magnus, se enfia pela floresta e desaparece, não interage com mais ninguém. O Magnus depois não diz quem era, nem ninguém lhe pergunta também, ou seja, pouca importância se dá àquela cena, mas no site da Cassandra, ela diz lá que a moça é a Tessa, a protagonista do Anjo Mecânico, mas acontece que aquela história se passa no século dezanove, ou seja, se for a Tessa, quer dizer que ela pode ser como o Magnus que é imortal (o Magnus também entra no Anjo Mecânico), há algumas teorias que dizem que a Tessa consegue viajar no tempo e veio consultar o Magnus do futuro possivelmente para salvar alguém no passado, Também pode ser como diz a p7, mas já é um bocadito spoiler esmiuçar, se pretendes ler o Anjo Mecânico claro. =)

  3. 11 Anónimo

    Tessa é imortal.

  4. 12 Theresa H.

    É. A Tessa é imortal mesmo. Eu li Princesa Mecânica. E a Tessa aparece em Cidade de Vidro na página 460 no último parágrafo.


  1. 1 City of Fallen Angels | Cuidado com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: