Criaturas Maravilhosas

15Nov10

Autores: Kami Garcia & Margaret Stohl

Editora: Edições Gailivro (2010)

Páginas: 480

Sinopse: Lena Duchannes é diferente de qualquer pessoa que a pequena cidade sulista de Gatlin alguma vez conheceu. Ela luta para esconder o seu poder e uma maldição que assombra a família há gerações. Mas, mesmo entre os jardins demasiado crescidos, os pântanos lodosos e os cemitérios decrépitos do Sul esquecido, há um segredo que não pode ficar escondido para sempre. Ethan Wate, que conta os meses para poder fugir de Gatlin, é assombrado por sonhos de uma bela rapariga que ele nunca conheceu. Quando Lena se muda para a mais infame plantação da cidade, Ethan é inexplicavelmente atraído por ela e sente-se determinado a descobrir a misteriosa ligação que existe entre eles. Numa cidade onde nada acontece, um segredo poderá mudar tudo.

Opinião:

Aaaah! Adorei este! E depois de muito pensar no assunto cheguei à conclusão que a razão principal para tal é que a história não me era de todo desconhecida…que de certa maneira me fazia lembrar de outra história bem querida do meu coração. Ora então há um rapaz que vai passar o tempo todo a ganhar a confiança de uma rapariga que está sob uma maldição familiar, e para além disto, ela é a tal outsider que todos odeiam pela simples razão de ela ser exactamente uma outsider – neste caso, a nova habitante da pequena cidade, e ainda por cima, da escola. No início ainda tremi um bocadinho a pensar que me ia sair um daqueles dramas mais que batidos sobre adolescentes incompreendidos, com as hormonas aos saltos, e que têm de passar o livro inteiro a ser alvo das fúteis-chatas-loiras-burras-alguém-me-segure-ou-eu-vou-lhes-ao-focinho das cheerleaders e dos idiotas dos jocks para ficarem juntos. Ainda bem que estava redondamente enganada (algum dia tinha que acontecer). As cheerleaders e os jocks caricatura estão lá de facto, e como era de esperar irritam -e bastante- mas a história não é de todo sobre eles.

Mas para além do casal protagonista fofinho, há outras razões óbvias para ter gostado bastante deste livro, pois ele envolve magia ancestral, livros poderosos e bibliotecas sobrenaturais cujas estantes e corredores não têm fim aparente, e ainda, uma infeliz história de amor paralela, passada noutro tempo, que se vem entrelaçar com a presente. Gostei ainda das personagens secundárias, e o facto delas estarem lá por alguma razão, e não serem simplesmente figuras aleatórias que foram atiradas para o texto só para encher chouriços.  (As tias do Ethan: a risota.)

Uma das críticas que mais fazem a este livro tem a haver com a maturidade super desenvolvida do protagonista, e eu tenho a dizer: óbvio que é estranha, um rapaz de 16 anos com aquele comportamento tão…cavalheiresco, não é normal, mas isto é ficção, por isso tudo é possível; e claro, há determinadas partes um tanto ou nada cliché, como por exemplo o sonhar com a pessoa amada antes de a conhecer, seguida daquele reconhecimento na primeira vez que se vêem, aquela primeira interacção deles sob a chuva (a puxar mais para o vendaval), eles comunicarem por pensamento, e qual príncipe da Branca de Neve ou da Bela Adormecida, o Ethan a salvar a Lena com um beijo, e até há um Prom que corre muito mal e que me fez lembrar aquela cena do filme Carrie -menos o sangue…e as pessoas a morrer-, mas sinceramente eu limitei-me a sorrir perante estas referências todas e a acrescentar “fofinho” atrás de “fofinho” à minha opinião mental do Criaturas Maravilhosas -e sim, a parte do Prom também, as cheerleaders a caírem umas por cima das outras enquanto o ginásio vem abaixo é fofo do meu ponto de vista.

Eu bem que gostava, mas li este livro em inglês e por isso não posso pronunciar-me com toda a certeza acerca da edição da Gailivro, no entanto já tive a oportunidade de ler um bocadinho da versão traduzida (é o que se faz quando se vai aos CTT, se tem mais de 40 pessoas à frente, e a única distracção possível é a banca com os livros à venda) e o resultado pareceu-me satisfatório. Vou fazer figas para que isto seja inteiramente verdade.

Para acabar: estão previstos 4 volumes para esta série (#2: Beautiful Darkness) que já possui uma extensa base de aficionados e a tendência é para aumentar como se cada novo fã recebesse um pãozinho quente, ainda por cima parece que há por aí gente interessada em fazer das Caster Chronicles um franchising na ordem do Harry Potter e do Twilight, agora que estes começam a arrefecer -okay, só lá para 2012 depois da segunda parte do Deathly Hallows e do Breaking Dawn– querendo isto dizer que sim, vão haver filmes. E porque eu adoro especular sobre estas coisas, tendo em conta que o argumentista do primeiro filme  deverá ser o mesmo do P.S. I Love You, e sendo que eles gostam tanto de repescar actores com quem já trabalharam, já consigo imaginar o Gerard Butler a fazer de Ravenwood e a Hilary Swank de Sarafine, o que até nem era mau. 😀

Classificação: 8/10

***

Goodreads
WOOK
Gam.Co
Amazon.com
The Book Depository UK
The Book Depository.com


13 Responses to “Criaturas Maravilhosas”

  1. 1 quigui

    Estou dividida quanto a este. Por um lado parece ser bom (especialmente depois desta review), por outro, aquilo de proms, cheerleaders and jocks assusta-me um pouco.

    • Aaah, não sei que te diga quigui, já me perguntei várias vezes se te havia de impingir este ou não, mas não sei, pensa no assunto e depois diz qualquer coisa xD e é como eu disse, estas coisas estão lá, mas não são muito importantes, servem para angustiar o leitor mais um bocadinho, mas é tudo, porque a história vai para lá disto ;D

  2. Estou com esperanças mistas em relação a este livro. Antes de ele ser publicado só ouvia coisas boas, mas depois só li coisas más. Será dos portugueses?
    De qualquer dos modos pretendo lê-lo num futuro próximo e tirar as minhas conclusões, mas depois da tua entusiasta review, já estou outra vez mais animada com a leitura.

    • Hello Ana, olha eu acho que tu és capaz de gostar deste. Acho. Tudo porque o casal é fofinho no estilo do Shiver, que eu sei que adoraste :p
      É estranho mas eu sempre tive um feeling que ia gostar deste livro.
      Mas que tipo de coisas más é que leste? sobre a história, sobre a escrita, uma mistura dos dois? Eu também li uma ou duas opiniões más, mas as boas é que me deixavam sempre mais curiosa. Leste opiniões menos boas da edição em português, foi isso? (Já agora, a versão inglesa é muito acessível, e lê-se num instante mesmo sendo um calhamaço.)

      • Não foi da edição portuguesa em especial que ouvi coisas más, mas sim foi nas blogs portuguesas que li opiniões menos boas, sobre a história.
        Mas também pensei que fosse por não ser à la “Twilight”, que acho que é o que a maioria das pessoas que pega nisto está á espera de ler.
        Eu por mim quero é algo diferente. E se dizes que tem um “feeling” tipo Shiver, então convenceste-me. XD

      • Eh-eh, eu sabia que a palavra mágica “shiver”, te convencia, podes-me bater depois se achares que te enganei 😀
        É assim, para mim, o que esta história tem de parecenças com o Twilight é mesmo só aquela coisa do casal que se apaixona irremediavelmente à primeira vista, o facto de aparentemente não poderem ficar juntos porque um deles é uma criatura sobrenatural, e a Lena até passa parte da história a tentar afastar o Ethan porque acha que lhe pode acontecer alguma coisa de mal se eles continuarem juntos. Isto já devia chegar ao pessoal que quer mais Twilight e pega neste livro, mas se queriam mesmo vampiros e lobisomens, não vão com muita sorte.
        Sim, o casal faz-me lembrar um bocado o Sam e a Grace, de tenra idade e serem mais maduros e responsáveis, fazerem coisas fofinhas de namorados, perceberem-se tão bem um ao outro mesmo conhecendo-se tão pouco, e claro, eles também são um daqueles casais que cumpre todos os requisitos que referi antes (amor à primeira vista, e bláblá).

  3. 7 p7

    Ah bolas! Cada vez que cá venho a minha wishlist cresce mais um bocadinho. xD (Tenho que ir cuscar a tua review do Shiver.)

    Quanto a este, gostei mesmo, pareceu-me um daqueles contos de fadas meio épicos, meio tragicomidrama… E agora ao ver o teu casting até salivei. 😛

    P.S.: Fiquei curiosa… posso cuscar qual é a história que este te lembra? Suponho que será Juliet Marillier… mas como ainda não li todos os livros dela não estou a ver qual o livro. :s

    • ***SÓ PARA AVISAR QUE A MINHA CONVERSA COM A P7 CONTÊM SPOILERS***

      *LOL*Desculpe lá, sim? Não era minha intenção ser causadora de tal inconveniência, aumentar wishlists e tal… *mentira!* :p

      Pois…eu falei no Gerard Butler, ela saliva e tudo. Este nome tem esse poder nas pessoas 😀

      Sim, é mesmo uma boa história, e a maneira como as autoras juntam todos os pedacinhos, e o próprio estilo de escrita também gostei. Eu não conseguia parar de ler, só mesmo quando já não conseguia abrir a pestaninha de sono é que o pousava. E cá entre nós, eu acho, não, tenho quase a certeza, que o Ethan tem mesmo algum tipo de poder…razão número 1: acho que a mãe ao mandar aquela mensagem codificada, não era para a Lena, mas para ele; razão número 2: como é que consegue proteger a Lena daquela maneira, mesmo contra a Sarafine? é só com o poder do amor? nah me parece; razão número 3, a mais óbvia – se ele sendo mortal eles não podem ir para além de uns beijos e uns apalpões, óbvio que ele tem de ser mágico xD Que te parece?

      Claro que podes cuscar, então se for para aumentar a tua wishlist (lol), aquela ideia de ele querer proteger a rapariga a todo o custo, ninguém para além dele (vá, e do Link) gostarem dela, o facto de, para todos os efeitos, eles serem um casal reservado, e até aquela cena em que a Lena é julgada em frente da escola toda e a quererem expulsar porque acham que ela é uma bruxa, fez-me lembrar vagamente aquele meu livro preferido, que já toda a gente está cansada de saber, A Filha da Floresta. E as protagonistas até partilham os mesmos caracóis escuros e os olhos verdes anormalmente grandes. Já deves ter lido este…não? 😮

      • 9 p7

        Començando do fim para o início… Não li Sevenwaters. Acho que não vou ler até acabar os outros livros da Juliet que me faltam, porque tenho receio de me acontecer uma coisa que acontece nalgumas críticas aos outros livros da Juliet – quem leu Sevenwaters diz algo do género “não gostei tanto/é tão bom como Sevenwaters”. Como não quero fazer uma desfeita aos livros que já li dela (Sangue-do-Coração, O Espelho Negro, os dois das Ilhas Brilhantes, os dois do Wildwood Dancing) ou os que faltam (os dois das Crónicas de Bridei), vou acabar os que me faltam primeiro dela em português antes de avançar para Sevenwaters. Bem sei que é pancada minha. 😛

        Razão número 1: agora não me estou a lembrar da mensagem da mãe dele; razão número 2: tens razão, “o poder do amor” parece uma explicação lamechas; razão número 3: esta tens mesmo de ter razão – os fãs não sobrevivem à conta de uns amassozinhos, para castidade já bastou o chove-não-molha do Crepúsculo. xD

        Bem eu nem ligava muito ao GB mas este ano vi um par de filmes com ele e bem agora até pareço o cão do Pavlov. 😀

        Quanto a wishlists só digo que ainda bem que é quase Natal, que pode ser que dê para abater alguns exemplares da lista. ^^

      • Ah, okay, estás a deixar os melhores para o fim, também é uma boa política ;D O pessoal diz isso, é verdade, e eu cá acho que é muito por causa daquela série ter sido o que a maior parte dos fãs começaram a ler da autora. Foram os primeiros, logo têm sempre um lugarzinho especial no coração 🙂

        A mãe do Ethan deixa-lhe aquela mensagem “Claim yourself”, não sei que termos foram usados para traduzir, mas ele achou que a mensagem era para a Lena escolher se se ia tornar Light ou Dark. A mim cheira-me que era para ele…mas não sei, temos que esperar para ver.
        “Chove-não-molha” é muito bom, e absolutamente correcto xD pois, e não me parece que as autoras iriam cair na banalidade de angustiarem o casal e os leitores com a conversa de “eles não podem…ele pode morrer…etc” e depois chegar à altura e afinal podem porque a Lena consegue fazer um esforço muito grande para não o eletrocutar *lol* (como disse a Ana “à la Twilight”) a Lena até podia matar uma almofada também e destruir a cama xD


  1. 1 As Escolhas do Dálmata 2010 | Cuidado com o Dálmata
  2. 2 Beautiful Darkness | Cuidado com o Dálmata
  3. 3 Novidade ǀ Trevas Maravilhosas | Cuidado com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: