Flores na Tempestade

23Abr10

Autor: Laura Kinsale

Editora: O Arco de Diana/A Esfera dos Livros (2008)

Páginas: 557

Idioma: Português

Sinopse: Christian era um dos homens mais brilhantes e sedutores da alta sociedade inglesa. Um libertino que despertava paixões avassaladoras até que um trágico ataque o condena a um mundo de silêncio, sombras e loucura. Christian perde a capacidade de falar e a família coloca-o num sanatório, crente de que perdeu a razão. Maddy, de nascimento modesto e com uma alma simples e generosa, fica presa a este homem que lhe desperta sensações novas. Um homem que oscila entre a raiva e a frustração de estar preso ao silêncio, que a repele, mas que necessita da sua atenção e do seu carinho para o tirar daquele tormento solitário. A amizade que nasce entre os dois transforma-se num amor arrebatador. Fonte de necessidade, de desejo… e de uma paixão redentora. Laura Kinsale, autora best-seller norte-americana, traz-nos um dos romances de amor mais belos e originais de sempre. Uma história apaixonante e inesquecível que se converteu numa das novelas românticas mais elogiadas pela crítica e pelo público em todo o mundo.

Opinião:

Flores na Tempestade começa no tom clássico de rapariga-odeia-rapaz, e por isso pensei que ia levar com várias páginas de uma relação amor-ódio faiscante até uma das partes ceder, mas não foi bem assim, pois Christian, o duque “Casanova”, perde o juízo logo no terceiro capítulo, e a partir daí toda a história passa a ser um rapariga-cuida-de-rapaz, e a relação é mais na base do amor-obsessão para ele, e amor-dúvida para ela.

Eu gostei deste livro. É óbvio que é pura chick-lit mas possui várias atenuantes como por exemplo o percurso do duque; ele é claramente uma alma perdida no mundo que nem os próprios botões de punho consegue abotoar e desabotoar sem ajuda, escusado será dizer que o meu coração amolecia mais um bocadinho de cada vez que ele precisava vestir ou despir uma camisa; o seu processo de cura foi bastante interessante de se ler, e claro está, aquela maneira dele se exprimir em fragmentos de frases e de usar os verbos no infinitivo ao estilo do Hulk dava cabo de mim (in a good way), Missmaddy… casar?

A única coisa que me chateou em toda a história foi a faceta quaker da Maddy. Eu sei, eu sei que é a crença dela mas pelo amor de Deus, às vezes até dava a impressão que ela pertencia a alguma seita e que lhe tinham feito uma lavagem cerebral (os quakers não se podem mesmo olhar ao espelho, a sério?…), e nem quis acreditar quando já tão próximo do fim ela estava ainda tão insegura e mesmo arrependida (ARREPENDIDA!)bah!

Tendo adquirido este livro absolutamente por acaso, ou melhor, por impulso, depois de ter lido a sinopse mais ou menos na diagonal assim: Christian… homem sedutor… trágico ataque… loucura… Maddy… alma simples… amor arrebatador… paixão redentora, hoje não me arrependo nada (o que tantas vezes se sucede com as compras impulsivas…) e vou mesmo recomendar a quem apreciar o género.

Classificação: 8/10



5 Responses to “Flores na Tempestade”

  1. 1 adriana

    onde posso adquirir flores na tempestade?

    • Olá!
      Acho que consegues arranjar em qualquer livraria desde que hajam exemplares em stock, eu comprei a minha cópia na Fnac. 🙂

  2. 3 Carla

    E quando ele a comparou com a Rapunzel? (pelo menos pareceu-me).. foi adorável.

    Esse romance foi diferente de tudo o que li e descobri há dias que est+a num top 100 de melhores romances de sempre, ocupando a 5ª posição. Realmente achei que ele era digno disso.

    O duque com o seu lado de menino era mesmo de derreter o coração. ai, ai.. lol

    Bjs!

    • Eheh, sim. Ele diz cada coisa mais engraçada. xD

      É muito bom mesmo, o único senão para mim é a Maddy no fim, arma-se um bocadinho em parva, mas pronto, acaba bem. 🙂

      Foi muita sorte ter achado este livro e ter ficado intrigada com a sinopse. Porque mal o consegui pousar quando comecei a ler. Dá um aperto no coração sempre que ele está a ser maltratado e não se pode defender 😦 a parte boa daquela maluqueira dele é mesmo isso: fica um rapazote, tão fofo 😀

      • 5 Carla

        Ela era Quaker desde sempre, então acreditava em todas aquelas balelas. Achei bastante realista.

        Eu acabei por vê-la por outro prisma: foi a única pessoa a entendê-lo e a ajudá-lo. Tb houve várias vezes em que ela hesitou mas em que acabou sempre por ajudá-lo por mais que o que estava a fazer fosse contra as suas convicções. Quando o ajuda a fugir, quando se decide casar com ele, etc… Nos momentos importantes ela escolheu-o sempre a ele. Ela vacila no final, sim, mas acho que foi apenas um pretexto para a autora fazer o Christian brilhar mais uma vez. Foi uma declaração e tanto a que ele lhe fez em frente a todos aqueles quakers. Uma das partes mais emocionantes do livro. 🙂 bjinhos


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: