1001 Livros Para Ler Antes de Morrer – 31 a 40

30Jan10

31.

In The Forest

Autor: Edna O’Brien

Editor: Orion Publishing

Sinopse: A moving novel by one of Ireland’s finest contemporary novelists, and inspired by a notorious true-life triple murder.

32.

O Impostor

Autor: John Banville

Editor: Ulisseia

Sinopse: Universitário respeitado no domínio da filosofia, Axel recebe na Califórnia uma carta perturbadora que suscita a sua curiosidade. Uma jovem, que lhe escreve de Anvers, afirma com efeito ter descoberto alguns factos comprometedores a seu respeito, relativos a um passado pouco claro. O professor aceita então participar num colóquio sobre Nietzsche, que vai realizar-se em Turim, a fim de aí encontrar a misteriosa Cass Cleave.Ora, contra todas as expectativas, a entrada em cena desta última vem alterar os dados do problema. A jovem, que sofre do síndroma de Mandelbaum, a meio caminho entre a psicose maníaco-depressiva e a loucura pura e simples, tem, é certo, momentos de absoluta lucidez. A relação complexa que se estabelece entre os dois personagens assume então semelhanças ao combate entre o Diabo e o Anjo.

33.

Middlesex

Autor: Jeffrey Eugenides

Editor: Dom Quixote

Sinopse: Abarcando oito décadas e uma adolescência particularmente complicada, o tão aguardado 2º romance de Jeffrey Eugenides é uma fábula grandiosa e absolutamente original de genealogias trocadas, explorando as complexidades do género e as motivações caóticas e profundas do desejo. Um triunfo extraordinário do autor de “As Virgens Suicidas”, esta é a história mirabolante de um gene que atravessa três gerações de uma família de gregos americanos até florescer no corpo de uma jovem adolescente.

34.

Youth

Autor: J.M.Coetzee

Editor: Vintage

Sinopse: A student in 1950s South Africa has long been plotting an escape from his country. Studying mathematics, reading poetry, saving money, he tries to ensure that when he arrives in the real world, he will be prepared to experience life to its full intensity. Arriving at last in London, however, he finds neither poetry nor romance.

35.

Dead Air

Autor: Iain Banks

Editor: Little, Brown Book Group

Sinopse: Ken Nott is a devoutly contrarian, vaguely left-wing radio shock-jock living in London. After a wedding breakfast, people start dropping fruits from a balcony on to a deserted car park below. As they get carried away, dropping more, they’re told a plane has just crashed into the World Trade Center.

36.

Nowhere Man

Autor: Aleksandar Hemon

Editor: Pan MacMillan

Sinopse: From the grand causes of Jozef Pronzek’s adolescence – principally, fighting to change the face of rock and roll and struggling to lose his virginity – up through a fleeting encounter with George Bush (the first) in Kiev, to enrolment in a Chicago English-language class, this novel describes his experiences.

37.

O Livro das Ilusões

Paul Auster

Editor: ASA

Sinopse: Paul Auster está de regresso. Um dos mais talentosos e originais escritores americanos oferece-nos aquela que é, porventura, a mais rica e empolgante das suas obras. Auster narra a história do extraordinário e misterioso Hector Mann, um virtuoso do cinema mudo que havia sido dado como desaparecido em 1929. Através do seu poder narrativo, o autor transporta-nos bem para lá da magia do cinema mudo e mergulha-nos no coração de um universo muito pessoal, em que o cómico e o trágico, o real e o imaginado, a violência e a ternura se misturam e dissolvem. Após a morte da mulher e dos filhos num acidente de avião, David Zimmer entra em depressão. Entrega-se então à escrita de um livro sobre Hector Mann, um virtuoso do cinema mudo dado como desaparecido em 1929.

38.

O Dom de Gabriel

Autor: Hanif Kureishi

Editor: Editorial Teorema

Sinopse: Último livro do escritor inglês de origem paquistanesa Hanif Kureishi, romancista, contista, dramaturgo e argumentista, cuja tradução chega até nós pouco depois da publicação em Inglaterra. Kureishi é um dos nomes de referência da literatura inglesa contemporânea e o seu sucesso começaria bem cedo, logo com o seu primeiro livro, “O Buda dos Subúrbios”, ou melhor, ainda antes, quando o seu argumento para o filme de Stephen Frears, “A Minha Bela Lavandaria” foi nomeado para um Óscar e recebeu um prémio da crítica em Nova Iorque. Outros livros ou contos adaptados ao grande écran (“O Meu Filho Fanático”; “Intimidade”) trouxeram-lhe mais popularidade junto dos leitores.

O Dom de Gabriel recria Londres na sua contemporaneidade através do olhar adolescente de Gabriel, filho de um músico rock decadente (que “observava o mundo através do fundo de um copo de cerveja”) e de uma ex-groupie a trabalhar num bar. Os pais separaram-se e Gabriel vê-se um tanto confuso e perdido, como quase todos os seus amigos, a quem chamam filhos pinguepongue, divididos entre duas casas, mimados alternadamente, com meios irmãos e novos “pais” e “mães”. No meio de tudo isto, Gabriel tem um dom, um talento, mas não sabe qual é e tenta descobri-lo ao longo do livro.

Raras vezes vimos na ficção britânica contemporânea uma personagem tão generosa, com tal poder de redenção. (Gabriel é um rapaz que) está empenhado em crescer e quer que todos cresçam à sua volta – a começar pelo leitor, a quem só pedimos que leia estas páginas. (José Prata, O Independente)

39.

Austerlitz

Autor: W.G.Sebald

Editor: Editorial Teorema

Sinopse: O último romance de W. G. Sebald dá-nos a conhecer a vida de Jacques Austerlitz, um homem obcecado por uma apreensão obscura e mergulhado na busca das suas raízes. Com este retrato tocante de um emigrante desenraizado, frágil, erudito e digno, o autor constrói uma espécie de antimonumento a todos aqueles que, ao longo da história, se vêem perseguidos, expulsos, cortados das suas raízes, sem jamais conseguirem compreender a razão nem o sentido de tudo isso. A vulnerabilidade doce e secreta de Sebald e dos seus personagens fora do comum, a sua forma de serem sucessivamente conquistados pela beleza do mundo e pelo sofrimento que ele engendra levam as suas obras a inscreverem-se na memória como acontecimentos fundamentais.

40.

Plataforma

Autor: Michel Houellebecq

Editor: Bertrand

Sinopse: O livro retrata o caso de Michel, um solitário e desiludido funcionário público, frequentador de peep-shows e de desenxabidas prostitutas ocidentais, que encontra em Valérie, uma mulher interessante e abertamente bissexual, a possibilidade de concretizar uma afeição marcada por uma sexualidade “natural e instintiva”, que só a acção criminosa de um grupo de fundamentalistas islâmicos consegue interromper abruptamente. Pelo meio, o autor aborda muitas das inquietações que hoje em dia nos assaltam e formulamos interiormente: os perigos das selvas urbanas, as atitudes de determinados grupos étnicos ou sectores sociais e a atitude de solidão que domina as pessoas.



Anúncios


No Responses Yet to “1001 Livros Para Ler Antes de Morrer – 31 a 40”

  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s


%d bloggers like this: