Irish Hearts

27Jan10

Autor: Nora Roberts

Editora: Harlequin Mills & Boon

Páginas: 512

Idioma: Inglês

Sinopse:

Irish Thoroughbred
It was a dream come true for Irish lass Adelia Cunnane — to work with her uncle, a horse trainer at Royal Meadows, one of the most renowned stables in the world. But there was a catch, and his name was Travis Grant. He was the stable’s owner, and a man as proud, as passionate, as opinionated as . . . herself.

Irish Rose
When Adelia’s feisty cousin Erin McKinnon first meets Burke Logan, she’s not impressed. He’s a womanizing, cigar-smoking gambler who won the farm beside Royal Meadows in a game of poker. He has money — too much for Erin’s liking — and a bad reputation. But Burke keeps staring at her — and Erin keeps finding herself staring back. And she’s beginning to think she may have finally met her match . . .

Opinião:

Rendi-me a Nora Roberts.

Fiz um mooch deste livro apenas por curiosidade e agora posso dizer que me rendi à autora. (Pelo menos no que toca a chick-lit :D)

Foi absolutamente por acaso, mas Irish Thoroughbred foi, não só o primeiro livro da Nora que li, mas também o primeiro romance de Nora a ser publicado (originalmente, em 1981).

Irish Thoroughbred conta-nos então a história de Adelia Cunnane.

Adelia é orfã, pobre, pequena, e Irlandesa. Tendo perdido tudo e todos, vai viver com o último familiar directo que lhe resta, o seu tio Paddy, que emigrou faz muitos anos para a terra das oportunidades, e que trabalha numa quinta gigantesca como tratador de cavalos para o mais generoso dos patrões: Travis Grant. Esta também é a história dele.

Travis é orfão, muito muito rico, muito muito grande e claro, Americano.

E o resto conta-se basicamente assim:

Ela precisa de trabalho. Ele vai dar-lhe um.

Ela vai estar em perigo. Ele vai salvá-la.

Ela vai dizer sim. Ele vai dizer não.

Ele vai dizer sim. Ela vai dizer sopas.

Ela vai-lhe dizer vai àquele lugar. Ele vai-lhe dizer vai tu.

Ele vai-lhe querer bater por ela ser a pessoa mais teimosa à face da terra e nunca fazer o que ele pede. Ela vai-lhe querer bater  por ele ser o idiota mais mandão que alguma vez viveu.

Ele vai agarrá-la inúmeras vezes. Ela vai deixar sempre.

Os dois vão-se arreliar, insultar, magoar, espicaçar, até se acharem inequivoca e irremediavelmente apaixonados um pelo outro.

Alguns dirão que tremedo cliché, outros virei fã da Nora Roberts.

Irish Rose, a sequela, dá-nos a conhecer mais uma Irlandesa fogosa, Erin McKinnon, uma prima em terceiro ou quarto grau de Adelia. As suas foram as melhores amigas e companheiras de brincadeira enquanto crianças, mas o tempo, a maturidade, e as circunstâncias acabaram por levar a um afastamento; até ao início da história.

Erin é doce e perspicaz, inocente e  lutadora, inteligente e sonhadora, inveja a vida que a prima construiu para si, e anseia pela mesma sorte. É então que entra Burke Logan em cena. Ele é belo e misterioso, uma alma solitária, e um jogador em todos os sentidos, um homem rico que não se importa pelo dinheiro ou por qualquer outra coisa na vida, até pôr os seus olhos  escuros e ensombrados em Erin.

Classificação: 7/10



One Response to “Irish Hearts”


  1. 1 Engaging The Enemy | Cuidado Com o Dálmata

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: